nnn

domingo, 27 de fevereiro de 2011

ONG - Projeto não-violência



Lexicoterapia:

Promover Debate sobre o Projeto não-violência(R) – Organização Não Governamental Internacional (ONG), cuja missão é  ’de desenvolver e fortalecer uma cultura de não-violência por intermédio das escolas’ e já existe desde 1998.


O que é, seu fundador, equipe de mantenedores e parceiros, programas, cultura de paz, resultados alcançados, como contribuir:
Graça Lacerda



Quem és tu, Biblioteca?


Porque há dias escrevi:

"MAS LOUVE-SE O LIVRO E A MAGIA QUE ELE CONTÉM, A PALAVRA QUE ELE NOS TRAZ, AQUELE SENTIMENTO DE PARTILHA E CUMPLICIDADE QUE NOS TRANSMITE QUANDO O FOLHEAMOS. TRANSMITIR ÀS NOVAS GERAÇÕES O VALOR DO LIVRO É UMA RESPONSABILIDADE QUE NOS CABE.

VIVA O LIVRO, O LEITOR E O AUTOR, GÉNIO* CRIADOR DE ESCRITOS QUE NOS TRANSMITEM CONHECIMENTO, NOS FAZEM SONHAR E POR VEZES VOAR NUM INFINITO MÁGICO.”

Encontrei a BIBLIOTECA e perguntei:


- QUEM ÉS TU BIBLIOTECA??


- Eu sou a guardiã do passado, do presente e do futuro …

Tenho no meu seio, as Memórias dos Homens, o seu imaginário criador da esgrima da palavra, em prosa e poesia.

Guardo dicionários de todas as línguas, enciclopédias e livros temáticos das ciências e artes.

Sou um elo da transmissão do SABER e da CULTURA, alimento regenerador e formador de gerações. O meu conteúdo é o “adubo” que fortalece o HOMEM face aos “ditadores de vão de escada” e de todos aqueles que fomentam a ignorância , tendo em vista a dominação e usurpação da LIBERDADE dos povos.

A CULTURA E O SABER SÃO SINÔNIMOS DE LIBERDADE.

- Sabes, disse-me a BIBLIOTECA, agora tenho a minha irmã digital que chega a todos os cantos do MUNDO e me tem ajudado neste “trabalho” incessante, de séculos, que vai resistindo aos que aqui e ali, em diferentes épocas mandaram destruir algumas “células” do meu corpo.

Mas nós resistiremos e em cada canto do PLANETA AZUL HÁ E HAVERÁ SEMPRE UMA BIBLIOTECA QUE ESPERA POR TI !!!

ARFER

http://arferlandia.blogspot.com 

Nota: * génio - escrita de Portugal.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Amizade


Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta
necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor,
eis que permite que o objeto dela se divida em outros
afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não
admite a rivalidade.
E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem
morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem
todos os meus amigos!
Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos
e o quanto minha vida depende de suas existências.
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.
Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes
dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.
Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão
incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso
que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os
procure.
E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção
de como me são necessários, de como são indispensáveis ao
meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu,
trêmulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto
pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. se todos
eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo
pela vida deles.
E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao
meu bem estar. Ela é, talvez, fruto de meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.
Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma
lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer.
Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da
vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando
comigo,
falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e,
principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que
são meus amigos!
A gente não faz amigos, reconhece-os.


(Vinícius de Moraes)





Se eu morrer antes de você, faça-me um favor. Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado. Se não quiser chorar, não chore. Se não conseguir chorar, não se preocupe. Se tiver vontade de rir, ria. Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão. Se me elogiarem demais, corrija o exagero. Se me criticarem demais, defenda-me. Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam. Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo. Se falarem mais de mim do que de Jesus Cristo, chame a atenção deles. Se sentir saudade e quiser falar comigo, fale com Jesus e eu ouvirei. Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a você, lá onde estiver. E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase : ' Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus !' Aí, então derrame uma lágrima. Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar. E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu. Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha na direção de Deus. Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz vendo você olhar para Ele. E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente, vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele. Você acredita nessas coisas ? Sim??? Então ore para que nós dois vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, e que morramos como quem soube viver direito. Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo. Eu não vou estranhar o céu . . . Sabe por quê ? Porque... Ser seu amigo já é um pedaço dele !
(Vinícius de Moraes)


Produção de texto: Quem é o meu amigo?
Música: Oração por meus amigos 

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Assuntos trabalhados em sala

Esse Scrap para modelo de Capa foi confeccionado com a colaboração de elements dos designers:

PHF_Wilma 4ever_March
Skrappingalley (df_tish_mk12)
AWD - butterflies 09)

Nossas Aulas:

1. Escolhendo as cores  para as Classes de Palavras:
Substantivo
Adjetivo
Verbo
Pronome
Numeral
Advérbio
Conjunção
Interjeição
Preposição
Artigo


 - Atividade: Utilizando as cores estabelecidas, colorir as Classes no primeiro parágrafo dos textos estudados: 


- O encontro de Tom com o príncipe
- Toada de ternura


Nota importante:
Fazê-los conhecer que, de acordo com o lugar no texto, bem como seu significado, a palavra pode mudar de classe, conforme o exemplo:
Eu me caso hoje - verbo 
O caso da borboleta Atíria - substantivo 


2. Resolvendo "Combinados" para Trabalhos em Equipes

3. Quadro dos Conteúdos Ministrados:
     
     Código para preenchimento

*   O conteúdo ficou/está claro
#   O conteúdo precisa ser revisado
@ O conteúdo ainda não está claro para mim - é preciso intervenção, com novas explicações do professor!

Conteúdo Desenvolvido                         Aprendizagem                                               Mês: Fev

4. Quem sou eu - física e psicologicamente

1º Momento: Colocar no papel respostas espontâneas
2º Momento:  Reestruturar as ideias, retirar os números, transformar em texto observando parágrafos.
5. Definindo tema para o Projeto Interdisciplinar: "Do lixo ao luxo"

Graça Lacerda
Professor nível III
Língua Portuguesa


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Nosso homenageado


Moldura interna: net; moldura externa: Zaza (Scrap and Tubes)

Moldura interna: Graça; Frame: CST (Cleuzi SilvaTutoriais)

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Scraps - Projeto Lexicoterapia



(HF Projekte Sonnis)

HF Projekte (Saxonia)

Jackson Ângelo & Zaza (Scrap and Tubes)

HF Projekts (Hugs Heppy, Marianne & Graça)

Zaza (Scrap and Tubes - Girly Girl)

BD (You make My Heart Blue)


Os Estatutos do Homem – Ato Institucional Permanente (Thiago de Mello)



Artigo I
Fica decretado que agora vale a verdade.
agora vale a vida,
e de mãos dadas,
marcharemos todos pela vida verdadeira.


Artigo II
Fica decretado que todos os dias da semana,
inclusive as terças-feiras mais cinzentas,
têm direito a converter-se em manhãs de domingo.


Artigo III
Fica decretado que, a partir deste instante,
haverá girassóis em todas as janelas,
que os girassóis terão direito
a abrir-se dentro da sombra;
e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro,
abertas para o verde onde cresce a esperança.


Artigo IV
Fica decretado que o homem
não precisará nunca mais
duvidar do homem.
Que o homem confiará no homem
como a palmeira confia no vento,
como o vento confia no ar,
como o ar confia no campo azul do céu.


Parágrafo único:
O homem, confiará no homem
como um menino confia em outro menino.


Artigo V
Fica decretado que os homens
estão livres do jugo da mentira.
Nunca mais será preciso usar
a couraça do silêncio
nem a armadura de palavras.
O homem se sentará à mesa
com seu olhar limpo
porque a verdade passará a ser servida
antes da sobremesa.


Artigo VI
Fica estabelecida, durante dez séculos,
a prática sonhada pelo profeta Isaías,
e o lobo e o cordeiro pastarão juntos
e a comida de ambos terá o mesmo gosto de aurora.


Artigo VII
Por decreto irrevogável fica estabelecido
o reinado permanente da justiça e da claridade,
e a alegria será uma bandeira generosa
para sempre desfraldada na alma do povo.


Artigo VIII
Fica decretado que a maior dor
sempre foi e será sempre
não poder dar-se amor a quem se ama
e saber que é a água
que dá à planta o milagre da flor.


Artigo IX
Fica permitido que o pão de cada dia
tenha no homem o sinal de seu suor.
Mas que sobretudo tenha
sempre o quente sabor da ternura.


Artigo X
Fica permitido a qualquer pessoa,
qualquer hora da vida,
uso do traje branco.


Artigo XI
Fica decretado, por definição,
que o homem é um animal que ama
e que por isso é belo,
muito mais belo que a estrela da manhã.


Artigo XII
Decreta-se que nada será obrigado
nem proibido,
tudo será permitido,
inclusive brincar com os rinocerontes
e caminhar pelas tardes
com uma imensa begônia na lapela.


Parágrafo único:
Só uma coisa fica proibida:
amar sem amor.


Artigo XIII
Fica decretado que o dinheiro
não poderá nunca mais comprar
o sol das manhãs vindouras.
Expulso do grande baú do medo,
o dinheiro se transformará em uma espada fraternal
para defender o direito de cantar
e a festa do dia que chegou.


Artigo Final.
Fica proibido o uso da palavra liberdade,
a qual será suprimida dos dicionários
e do pântano enganoso das bocas.
A partir deste instante
a liberdade será algo vivo e transparente
como um fogo ou um rio,
e a sua morada será sempre
o coração do homem.


(Santiago do Chile, abril de 1964 dedicado a Carlos Heitor Cony)





Amigos, alunos, colegas,

Esta é uma pequena amostra de nossas confecções para o Caderno de Capa Dura. Os alunos não veem a hora de iniciar as atividades com a prática do Lexicoterapia!! Há tanto o que aprender! Há tanto o que praticar! 
Todos já estão preparando suas fotos, para que o Caderno fique bem bonito e 'da hora'...
Acompanhem-nos nesta agradabilíssima empresaventura!
Abraços e laços,
Hugs and bows,

Graça Lacerda

****
Nota: link de meu blog de scraps:  http://botoeseanjosmimos.blogspot.com/
Façam-me uma visitinha nesse espaço de Arte, estou certa de que vão gostar... 
Mais laços.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Interpretação de Texto- múltipla escolha




Ninho de Cuco

O cuco é o mais mafioso dos pássaros. Não gosta muito de trabalhar e adora ocupar o ninho dos outros.
Foi assim que, um dia, um pardal muito bondoso, emprestou o seu ninho para o cuco e pediu que, em troca, ele ficasse por algumas horas tomando conta da ninhada toda.
Saiu. Quando voltou, encontrou o cuco numa zorra danada, bagunçando seus ovinhos:
- Quer dizer que eu lhe empresto o ninho e você faz essa bagunça?
Ao que o cuco respondeu:
- Eu estou retribuindo a sua hospitalidade. Nós, cucos, somos assim mesmo: só posso ser como sou.
O pardal, cheio de raiva, deu uma bicada no cuco, que, ofendido, disse:
- Mas o que é isso, amigo?
E o pardal respondeu:
- Essa bicada é tudo o que eu lhe posso dar, no momento. Sinto muito, mas nós, pardais, somos organizados, e você e seu ovinho vão ter que cair fora do meu ninho.
E o cuco, bagunceiro, foi baixar noutro terreiro: mais precisamente no buraco vazio de um relógio, onde, desde então, dá duro para sobreviver trabalhando em turnos de meia hora.
Cuco-cuco-cuco!

(FRATE, Diléia. Histórias para acordar. Companhia das Letrinhas)

1. "Mas o que é isso, amigo?"
Na frase acima, a palavra grifada se refere ao
( ) cuco
( ) pardal
( ) relógio
( ) ovinho

2. Na frase "... encontrou o cuco numa zorra danada", a expressão grifada significa que o cuco estava…
( ) fazendo pouco barulho
( ) dormindo profundamente
( ) chocando os ovinhos
( ) desorganizando o ninho

3. O título do texto é Ninho de Cuco porque…
( ) o cuco se aproveita do ninho dos outros pássaros
( ) o cuco constrói seu próprio ninho
( ) o pardal dá seu ninho para o cuco
( ) dentro de um relógio há um ninho de cuco

4. O pardal brigou com o cuco porque o cuco…
( ) não gosta de trabalhar
( ) abandonou o ninho do pardal e foi para o relógio
( ) bicou o pardal
( ) bagunçou o ninho do pardal

5. O que aconteceu ao cuco depois que foi expulso do ninho do pardal?
( ) Foi parar no terreiro
( ) Foi para o seu ninho
( ) Foi morar no relógio
( ) Foi cantar no terreiro

6. Na frase "E o cuco, bagunceiro, foi baixar noutro terreiro: mais precisamente no buraco vazio de um relógio...", qual a função dos dois pontos?
( ) Finalizar uma frase
( ) Introduzir uma explicação
( ) Interromper a frase
( ) Destacar uma expressão

Querido aluno: sempre que for responder às questões, procure pensar, analisar e buscar coerência para suas respostas. Vamos nos divertir?
Então, mãos à obra e...bom trabalho!!!
Graça

domingo, 6 de fevereiro de 2011

TEMA: A PALAVRA NO REINO DA TERNURA





Planejamento Quinzenal

1ª. Aula – 07/02/2011
Escola Municipal Jandyra Tosta de Souza
7ºs Anos
Sensibilização/Conhecimento dos Alunos


UNIDADE 1: VIAGEM PELA PALAVRA 



Poema Toada de ternura 
Faz escuro mas eu canto
Thiago de Mello

Para Leonardo, um menino meu amigo

Meu companheiro menino,
perante o azul do teu dia,
trago sagradas primícias
de um reino que vai se erguer
de claridão e alegria.

É um reino que estava perto,
de repente ficou longe;
não faz mal, vamos andando,
porque lá é nosso lugar.

Vamos remando, Leonardo,
porque é preciso chegar.
Teu reino ferindo a noite
vai construindo a manhã.
Na proa do teu navio,
chegaremos pelo mar.

Talvez cheguemos por terra,
na poeira do caminhão,
um doce rastro varando
as fomes da escuridão.
Não faz mal se vais dormindo,
porque teu sono é canção.

Vamos andando, Leonardo.
Tu vais de estrela na mão,
tu vais levando o pendão,
tu vais plantando ternuras
na madrugada do chão.

Meu companheiro menino,
neste reino serás homem,
um homem como teu pai.
Mas leva contigo a infância,
como uma rosa de flama
ardendo no coração:
porque é da infância, Leonardo,
que o mundo tem precisão.


ATIVIDADES -

1. Vocabulário (uso do dicionário)
Flama, pendão, primícias, toada e outras que os alunos não conhecerem.

2. Quem é o autor Thiago de Mello

3. Leitura Silenciosa do Texto Toada de ternura, para reconhecimento das palavras e seus sons peculiares.
3.1. Leitura oral por um aluno (ou mais)
3.2. Leitura oral conjunta: expressão em forma de Jogral.

4. Compreensão e Interpretação (contextualizadas)

  1. O eu lírico se dirige a um interlocutor, o “companheiro menino”. Discorrer sobre esses sentimentos, com palavras apropriadas. 
  2. Diga o que você entende pela  imagem “azul do teu dia”, no segundo verso do poema de Thiago de Mello.
  3. Levante hipóteses: o que poderia ser esse reino que o poeta trouxe ao menino Leonardo, como sendo “as primícias de um reino que vai se erguer de claridão e alegria”...por que razão esse reino se tornou distante, de repente...
d. O poeta mostra ao menino três meios de se chegar a esse “reino”...conversando com seu colega,         encontre esses meios: na 3ª. 4ª. e 5ª. Estrofes.

  1. Conversa informal sobre os versos do poema: “Teu reino ferindo a noite...Tu vais de estrela na mão”.

  1. O pendão é frequentemente usado para identificar uma tropa ou um exército em campanha de guerra. Na 5ª. estrofe do poema, você acha que o pendão anuncia guerra? Explique sua opinião. O reino de Leonardo é diferente daquele que ele vive com seu pai, pois Leonardo carrega consigo a ...............que o mundo tanto precisa. Você considera que a infância é tudo que o mundo necessita? Comente.



  1. Analisando as ideias do poema Toada de ternura, justifique esse título escolhido pelo poeta.

  1. TROCANDO IDEIAS - DEBATE - PROJETO ADORMECER E ACORDAR PALAVRAS: Os poetas podem participar, com seu canto, da CONSTRUÇÃO DO REINO DA ALEGRIA. Como poderão fazer isto, na sua opinião? O POETA Thiago de Mello destaca a TERNURA. O que é a ternura, para você? O que nós todos podemos fazer para ajudar  o mundo a ser mais terno? O que você e eu podemos fazer para manter viva a infância e a poesia dentro de nós? Esse poema “Toada de ternura” imagina um mundo ideal, um reino de LUZ e de ALEGRIA. O que nós vamos fazer esse ano para conseguirmos um mundo IDEAL? Dar uma sugestão para outro título ao poema: Ex.: AFETO EM PALAVRAS.
ALTERIDADE (alter = outro): EXERCÍCIO DE TERNURA. Será que ainda há neste mundo espaço para a SOLIDARIEDADE E A TERNURA? (Ilustração: pintura Uma reunião de Natal, de 1920, de Norman Rockwell. Lembrar as iniciais combinadas: RR (RESPEITO e RESPONSABILIDADE) e EE (ENALTECER e ELEVAR).
(Uma reunião de Natal - N. Rockwell)

  1.  Espaço para Argumentação oral e depoimento: A minha vida na escola é assim: (...)


  1. PRODUZINDO TEXTO: POEMA – estudo de Verso, Estrofe, Ritmo. Figuras de Linguagem. Criando poemas/esquentando ideias e criatividade: Quadrinhas malucas, Trovas e Limeriques (conhecer Edward Lear, o mestre dos limeriques) e Tatiana Belinky, escritora que traduziu limeriques de Lear. Avaliar o poema: se foi organizado em versos e estrofes, se explorou recursos sonoros (ritmo e rima), se a linguagem apresenta imagens e está adequada aos leitores e ao gênero textual. Leitura prévia de alguns poemas como: Amigo, de Roseana Murray e À televisão, de José Paulo Paes.
 AMIGO
No rumo certo do vento,
amigo é nau de se chegar
em lugar azul.
Amigo é esquina
onde o tempo para
e a Terra não gira,
antes paira,
em doçura contínua.
Oceano tramando sal,

mel inventando fruta,

amigo é estrela sempre

no rumo certo do vento,

com todas as metáforas,

luzes, imagens

que sua condição de estrela contém.

Poemas de Céu, ed. Paulinas, ilustrações de mari Ines Piekas


k. INSTRUMENTAL LINGUÍSTICO: A MORFOSSINTAXE – todo o I. L. será trabalhado de forma CONTEXTUALIZADA. Utilização de cores estabelecidas DEMOCRATICAMENTE pelos alunos para as CLASSES DE PALAVRAS. Revisão: meu, companheiro, menino, perante, o, azul, do, teu, dia, trago, sagradas, primícias, de, um, reino, que, vai, se, erguer, claridão, e, alegria. Objetivo: o aluno deverá compreender e intuir que, primeiramente, selecionamos as palavras (substantivos, adjetivos, pronomes, verbos, advérbios, etc.)  e em seguida, realizamos a  combinação dessas palavras em frases, nas quais, dependendo do contexto, elas passam a ter funções específicas (sujeito, predicado, objeto direto, etc.).


    1. PAINEL DAS PALAVRAS - Atividade para ser realizada em casa, observando o modelo:


    1. LIVROS RECOMENDADOS: CORRESPONDÊNCIA (Bartolomeu Campos de Queirós), Varal de poesia (Henriqueta Lisboa), Poesia fora da estante (Projeto organizado por Vera Aguiar), Poesias de Mário Quintana, Cantigas de Adolescer e Amor Adolescente (Elias José), entre outros, escolhidos pelos alunos.
    (correspondência-bartolomeucqueirós)

    1. VÍDEOS: A língua das mariposas (José Luís Cuervo), O inventor de ilusões(Steven Soderbergh), A História Sem Fim( Michael Ende), entre outros a escolher.

    (ahistóriasemfim-michaelende)

    "— O que é que eles dizem quando zombam de você?, quis saber o Sr.
    Koreander.
    — Não sei. . . Tudo o que lhes vem à cabeça.
    — Por exemplo?
    — Gordo, Gordão! Parece um balão! Quando sobe na árvore se
    esborracha no chão!"
    ~~0~~
    "— Vou experimentar!, disse Bastian. Mas não conseguiu proferir as
    palavras.
    Que aconteceria se a coisa desse mesmo resultado? Chegaria de alguma
    maneira a Fantasia. Mas como? Talvez tivesse de sofrer também uma
    metamorfose. Que seria dele então? Talvez doesse ou o fizesse desmaiar! E
    depois, iria mesmo a Fantasia? Bastian queria ir até junto de Atreiú e da
    imperatriz Criança, mas não de todos os monstros que por lá vagavam."

    1. SITES SUGERIDOS:  www.tvcultura.com.br/musikaos/listas/poesia.htm* www.jornaldepoesia.jor.br* www.olharliterario.hpg.ig.com.br/poesias.htm* www.avozdapoesia.com/poetas/index.htm* http://botoesmadreperola.blogspot.com

    CULMINÂNCIA: ESPAÇO PARA AS PRODUÇÕES DOS ALUNOS (fotos).


    *********************************************************
     Professora Graça Lacerda



    2ª. QUINZENA:

    VIAGEM PELA LEITURA - II