nnn

sábado, 30 de abril de 2011

Há palavras que nos beijam



(coleçãocartasefotos:Albert Einstein&Margarita Konenkova)


Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

(Alexandre O'Neill)


COM PALAVRAS TE BEIJO.


amordepapelao.blogspot.com


Graça Lacerda

quinta-feira, 28 de abril de 2011

TODOS PELA EDUCAÇÃO LANÇA CAMPANHA DE VALORIZAÇÃO DO PROFESSOR



Slogan:
"UM BOM PROFESSOR, UM BOM COMEÇO"

Logo:


Foi criada nesta terça-feira, dia 12 de abril uma campanha de mobilização para valorização do magistério, cujo lema é: 
Educação de qualidade, só com professores de qualidade.
"O objetivo é a valorização do bom professor, aquele que tem o foco no aprendizado de seus alunos e que, assim, contribui efetivamente para a melhoria da qualidade da Educação no Brasil”, diz Priscila Cruz, diretora-executiva do movimento."


A campanha foi produzida pela agência DM9DDB da ABC. O Diretor de criação, André Pedroso, afirma que "o bom professor é essencial para formar o bom aluno" e para o conselheiro do movimento, Mozart Neves Ramos, a valorização da classe passa por quatro importantes eixos: 


* salário inicial atraente
* plano de carreira
* formação inicial e continuada
* boas condições de trabalho


Parabéns à equipe dessa campanha, em especial aos da ficha técnica de animação, muito criativa, cujo propósito, de excelente iniciativa, é o grande objetivo de todos nós!!! 



EU SOU UM PROFESSOR DE QUALIDADE. E VOCÊ?





"DEZ MANDAMENTOS DO PROFESSOR"

Autor: Leandro Karnal

Primeiro
CORTAR O PROGRAMA!
Quase todas as disciplinas foram perdendo aulas ao longo das décadas anteriores. Não obstante, os programas nem sempre acompanharam estes cortes. Pergunte-se: isto é realmente importante? Este conteúdo é essencial? Não seria melhor aprofundar mais tais tópicos e menos outros? Se a justificativa é a pressão do vestibular, ela não pode ocupar 11 anos de Ensino Médio e Fundamental. Se a justificativa é uma regra da escola ou um coordenador obsessivo, lembre-se: o Diário de Classe sempre foi o documento por excelência do estelionato. A coragem da grande tesoura é essencial. Dar tudo equivale a dar nada. Ensinar a pensar não implica esgotar o conhecimento humano.

Segundo
SEMPRE PARTIR DO ALUNO!
Chega de lamentar o aluno que não temos! Chega de lamentar que eles não lêem, a partir de uma nebulosa memória do aluno perfeito que teríamos sido (nebulosa e duvidosa). Este é o meu aluno real. Se, para ele, Paulo Coelho é superior a Machado de Assis e baile Funk é superior a Mozart, eu preciso saber desta realidade para transformá-la. Se ele é analfabeto devo começar a alfabetizá-lo. Se ele está no Ensino Médio e ainda não domina soma de frações de denominadores diferentes devo estar atento: esta é minha realidade. A partir do zero eu posso sonhar com o cinco ou seis. A partir do imaginário da perfeição é difícil produzir algo. A Utopia, desde Platão e Thomas Morus, tem a finalidade de transformar o real, nunca de impossibilitá-lo.

Terceiro
PERDER O FETICHE DO TEXTO!
Em todas as áreas, em especial nas humanas, os alunos são instigados quase que exclusivamente ao texto. Num mundo imerso na imagem e dominado por sons e cores, tornamos o texto central na sala de aula. Devemos estar atentos ao uso de imagens, música, sensorialidades variadas. O texto é muito importante, nunca deve ser abandonado. Porém, se o objetivo é fazer pensar, o texto é apenas um instrumento deste objetivo maior. Há pessoas que pensam e nunca leram Camões e há quem saiba Os Lusíadas de cor e não pense... Lembre-se de que há outros instrumentos. A sedução das imagens deve ser uma alavanca a nosso favor, nunca contra. Usar filmes, propagandas, caricaturas, desenhos, mapas: tudo pode servir ao único grande objetivo da escola: ajudar a ler o mundo, não apenas a ler letras.

Quarto
POSSIBILTAR O CAOS CRIATIVO!
Fomos educados a um ideal de ordem com carteiras emparelhadas e, mesmo no fundo do nosso inconsciente, este ideal persiste. Qual professor já não teve o pesadelo de perder o controle total de uma sala, especialmente na noite mal dormida que antecede o primeiro dia de aula? Devemos estar preparados para o caos criador e para o lúdico. Alunos andando pela sala, trocando fragmentos de textos ou imagens dados pelo professor, discussões, encenações, o professor recitando uma poesia ou mandando realizar um desenho: tudo pode ser canal deste lúdico que detona o caos criativo. Surpreenda seus alunos com uma encenação, com um silêncio, com um grito, com uma máscara. Uma sala pode estar em ordem e ninguém aprendendo e pode estar com muitas vozes e criando ambiente de aprendizado. Lembre-se o silêncio absoluto é mais importante para nós do que para os alunos. É difícil vencer a resistência dos colegas e da própria escola a isto. Lógico que o silêncio também deve ser um espaço de reflexão, mas é possível pensar que há valor num solo gentil de flauta, numa pausa ou num toque retumbante de 200 instrumentos.

Quinto
INTERDISCIPLINAR!
Assim mesmo, entendido o princípio como um verbo, como uma ação deliberada. É fundamental fazer trabalhos com todas as áreas. Elaborar temas transversais como o MEC pede e, ao mesmo tempo, libertar o aluno da idéia didática das gavetas de conhecimento. Não apenas áreas afins (como História e Geografia) mas também Literatura e Educação Física, Matemática e Artes, Química e Filosofia. É preciso restaurar o sentido original de conhecimento, que nasceu único e foi sendo fragmentado até perder a noção de todo. O profissional do futuro é muito mais holístico do que nós temos sido até hoje.

Sexto
PROBLEMATIZAR O CONHECIMENTO!
Oferecer ao aluno o cerne da ciência e da arte: o problema. Não o problema artificial clássico na área de exatas, mas os problemas que geraram a inquietude que produziu este mesmo conhecimento A chama que vivou os cientistas e artistas é transmitida como um monumento inerte e petrificado. Mostrem as incoerências, as dúvidas, as questões estruturais de cada matéria. Mostrem textos opostos, visões distintas, críticas de um autor ao outro. Nunca fazer um trabalho como: "O Feudalismo" ou "O Relevo do Amapá"; mas problemas para serem resolvidos. Todo animal (e, por extensão, o aluno) é curioso. Porém, é difícil ser curioso com o que está pronto. Sejamos francos: se é tedioso ler um trabalho destes, qual terá sido o tédio em fazê-lo?

Sétimo
VARIAR AVALIAÇÕES!
Provas escritas são válidas, como a vitamina A é válida para o corpo humano. Porém, avaliações variadas ampliam a chance de explorar outros tipos de inteligência na sala. As outras avaliações não devem ser vistas como um trabalhinho para dar nota e ajudar na prova, mas como um processo orgânico de diminuir um pouco a eterna subjetividade da avaliação.

Oitavo
USAR O MUNDO NA SALA DE AULA!
O mundo está permeado pela televisão, pela Internet, pelos jornais, pelas revistas, pelas músicas de sucesso. A escola e a sala de aula precisam dialogar com este mundo. Os alunos em geral não gostam do espaço da sala porque ele tem muito de artificial, de deslocado, de fora do seu interesse. Usar o mundo da comunicação contemporânea não significa repetir o mundo da comunicação contemporânea; mas estabelecer um gancho com a percepção do meu aluno.

Nono
ANALISAR-SE PESSOALMENTE!
A primeira pessoa que deve responder aos questionamentos da educação é o professor. Somos nós que devemos saber qual o motivo de dar tal coisa, qual a relevância, qual a utilidade de tal leitura. O professor é o primeiro que deve saber como tal ciência transformou a sua vida. Isto implica fazer toda espécie de questão, mesmo as incômodas. Se eu não fico lendo tal autor por prazer e nem o levo aos meus passeios como posso exigir que um jovem ou uma criança o façam? Qual a coerência do meu trabalho? Minha irritação com a turma indisciplinada é uma espécie de raiva por saber que eles estão certos? Minha formação permanente me indica novos caminhos? Estou repetindo fórmulas que deram certo quando eu era aluno há 20 ou mais anos? É necessário um exercício analítico-crítico muito denso para que eu enfrente o mais duro olhar do planeta: o do meu aluno.

Décimo
SER PACIENTE!
Hoje eu acho que ser paciente é a maior virtude do professor. Não a clássica paciência de não esganar um adolescente numa última aula de sexta-feira, mas a paciência de saber que, como dizia Rubem Alves, plantamos carvalhos e não eucaliptos. Nossa tarefa é constante, difícil, com resultados pouco visíveis a médio prazo. Porém, se você está lendo este texto, lembre-se: houve uma professora ou um professor que o alfabetizou, que pegou na sua mão e ensinou, dezenas de vezes, a fazer a simples curva da letra O. Graças a estas paciências, somos o que somos. O modelo da paciência pedagógica é a recomendação materna para escovar os dentes: foi repetida quatro vezes ao dia, durante mais de uma década, com erros diários e recaídas diárias. As mães poderiam dizer: já que vocês não querem nada com o que é melhor para vocês, permaneçam do jeito que estão que eu não vou mais gritar sobre isto (típica frase de sala de aula...). Sem estas paciências, seríamos analfabetos e banguelas. Não devamos oferecer menos ao nosso aluno, especialmente ao aluno que não merece nem quer esta paciência - este é o que necessita urgentemente dela. O doente precisa do médico, não o sadio. O aluno-problema precisa de nós, não o brilhante e limpo discípulo da primeira carteira.


(Fonte: www.ime.unicamp.br In. FARIA, Ricardo de Moura. Estudos de História, vol 1)




Graça Lacerda
Sempre perseverante.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Água para elefantes - Livro e Filme





Life is the most spectacular show on Heart!




A Vida é o Maior Espetáculo da Terra!





Resumo do livro ÁGUA PARA ELEFANTES

Desde que perdeu sua esposa, Jacob Jankowski vive numa casa de repouso, cercado por senhoras simpáticas, enfermeiras solí­citas e fantasmas do passado. Por 70 anos Jacob guardou um segredo. Ele nunca falou a ninguém sobre os anos de sua juventude em que trabalhou no circo. Até agora. Aos 23 anos, Jacob era um estudante de veterinária. Mas sua sorte muda quando seus pais morrem num acidente de carro. Órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir, ele deixa a faculdade antes de prestar os exames finais e acaba pulando em um trem em movimento - o Esquadrão Voador do circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra. Admitido para cuidar dos animais, Jacob sofrerá nas mãos do Tio Al, o empresário tirano do circo, e de August, o ora encantador, ora intratável chefe do setor dos animais. É também sob as lonas dos Irmãos Benzini que Jacob vai se apaixonar duas vezes: primeiro por Marlena, a bela estrela do número dos cavalos e esposa de August, e depois por Rosie, a elefanta aparentemente estúpida que deveria ser a salvação do circo. Água para elefantes é tão envolvente que seus personagens continuam vivos muito depois de termos virado a última página. Sara Gruen nos transporta a um mundo misterioso e encantador, construí­do com tamanha riqueza de detalhes que é quase possível respirar sua atmosfera.

Autor: Sara Gruen



Fonte: Submarino




Reese Witherspoon e Robert Pattinson contracenam com a elefanta Tai


"Água para Elefantes" é tão envolvente que seus personagens continuam vivos muito depois de termos virado a última página. Sara Gruen nos transporta a um mundo misterioso e encantador, construído com tamanha riqueza de detalhes que é quase possível respirar sua atmosfera. 
Fonte: Saraiva


(Imagem do set de filmagem)
Disse Rob:

"É passado na a era da Depressão, quando os circos viajavam de trem e esse cara foge e salta em um trem para ser um vagabundo e, por acaso, ele não percebe que é um trem de circo. Ele se torna parte deste mundo, porque ele não tem vida para voltar a e acaba caindo de amor pela esposa do chefe de animais, interpretado por Reese Witherspoon. O 'chefe de animais' parece ter uma espécie de esquizofrenia. Ele é uma pessoa muito carismática e aterrorizante. Ele é vivido por Christoph Waltz, de Bastardos Inlgórios. Eu fiz uma leitura ontem com ele. Ele estava sentado ao meu lado. Foi um pouco assustador."


Li e recomendo.


Veja nesse link:
http://www.aguaparaelefantes.com.br/
ou nesse:
http://www.youtube.com/watch?v=xrUefmZRGwo

ou...


poderá ainda clicar nesse banner para conhecer o filme:


Bom divertimento...boa leitura!


Graça

quinta-feira, 21 de abril de 2011

terça-feira, 12 de abril de 2011

Selo Blog Pop



(clic na imagem)




Meus queridos amigos,

conforme palavras de meu também mui querido amigo Edson , do excelente blog 


http://edsoncarmo-amor.blogspot.com/


Esse selo é conferido aos blogs de popularidade: blogs que atingirem a aceitação do público. O selo foi criado com a intenção de promover o reconhecimento por um trabalho que agrega valor à Web.

É importante que quem receba o “Selo Blog Pop” e o aceite, siga algumas regras:

1. Exibi-lo no blog;
2. Apontar o blog pelo qual recebeu o selo;
3. Escolher outros blogs a quem deve oferecer o “Selo Blog Pop”



Eu o repasso com muito carinho a TODOS os que aqui continuam me visitando.
A gradeço ao Edson a amizade de sempre, a consideração e a lembrança: Deus o abençoe, querido!!


Beijos,


Graça Lacerda

sábado, 9 de abril de 2011

Mas, Deus...eu só queria entender...

Querido Pai que está nos Céus e nos corações daqueles que O amam também,


Sabe, Deus, estamos todos estarrecidos!
Estamos perplexos diante do que aconteceu, e não menos entristecidos e sangrando de dor. Estamos de luto!!

Mas, Deus, eu só queria entender...
Disseste que "certas coisas, certas realidades, certos acontecimentos" só seriam revelados àqueles pequeninos e que os grandes seriam confundidos, não foi? Senhor, é justamente em nome dessa promessa que venho pedir-te hoje:
-Pai, por favor, não nos deixe mais confusos! Revela a teus pequeninos aquilo que afirmaste que entenderíamos. Por favor, Jesus, nos revele, a cada um de nós que se fizer pequenino como eu, a razão de tudo que moveu esse  rapaz a cometer essa barbárie...
Tenho tantas perguntas, Senhor!
Será que essas criaturinhas inocentes já estavam predestinadas a terem suas inocentes e tenras vidas ceifadas, antes mesmo que conhecessem as maldades e mazelas deste mundo?
Será que teriam "merecido" uma morte dessa natureza?
Será que seus pais não poderiam antever essa brutal fatalidade, orando incessantemente por seus filhos, para que nada de mal lhes acontecesse?
Será, ainda, que ...

Qual seria a razão para tudo isso, Deus? Sei, do fundo de meus conhecimentos de Ti, da tua misericórdia e bondade que O SENHOR NÃO ESTÁ FELIZ!!!
Estou com a minha alma em prantos, meu Deus!
Não conheci os pequeninos vitimados...mas Tu sabes: precisava? Conheces a natureza mais que universal do coração que me deste, e com o qual fui agraciada neste mundo!
Sei também que são "tempos bíblicos", como sói dizer por aí. Porém sei mais ainda que as pessoas AINDA NÃO DESCOBRIRAM ESSA VERDADE, ESTÃO DE BRINCADEIRA CONTIGO, MEU PAI!
O Teu amor pelos Homens é infinito, é eterno. Mas ele possui um preço...e, pensando bem, é o preço mais leve que eu já pude imaginar que Alguém cobrasse de nós, nesta terra!

Sabe, Deus...eu só queria entender...

Um rapaz chegar a cometer um ato desses, fechando a história de sua vida de maneira cruel, brutal e trágica, não poderia ter sido reversa essa mesma história? Não poderia tê-la fechado com "chave de ouro", ou pelo menos, bronze, marfim, pérola, prata...???...Sim, acredito que ele nunca obteve a ajuda que precisou, e estou certa que precisou muito de ajuda, segundo eu soube. Esse fato não quer, de modo algum, justificar atos como esse que ele veio a cometer, Senhor, claro que não é isso, mas pergunto-Te, Pai amado, se ele tivesse encontrado pelo menos alguém que "orasse" por ele, pedindo-Te encarecidamente que o protegesse e guardasse, será que as coisas não teriam, então, tomado "outros rumos"?
Ah, do muito que tenho vivido e experienciado Contigo, Deus, tenho absoluta certeza de que SIM!
Tenho visto vidas transformadas apenas e tão somente pelo Poder da Oração!

Mas, Pai...eu só queria entender...
Sabes que em minha reflexões (que conheces tão bem!) tenho me perguntado se essas crianças inocentes vítimas dessa insensatez e loucura de um ser "fundamentalista" que já não dizia coisa com coisa neste mundo, tenho me perguntado se a Tua misericórdia não terá poupado essas criaturinhas de sofrer os danos e as dores de uma morte tão horrível como essa!!! Já soube que, antes mesmo de o corpo padecer as agruras de um sofrimento assim, o Senhor  recolhe sua alma frágil em sua absoluta misericórdia e Amor!
Eu oro a todo instante que tenha sido assim.
E peço, ainda, meu Pai, que o Senhor conforte as vidas desses pais "órfãos de seus filhos amados"!!!

E, Deus...eu ainda queria entender...Se Te aprouver, revela essa verdade e outras mais profundas, a essa Tua pequena e minúscula filha,

perplexa,
estarrecida,
angustiada,
chorando,

Graça Lacerda