domingo, 17 de dezembro de 2017

A Estrela-guia do meu Natal


 Qual a Estrela-guia do meu Natal?



O Natal, para mim, desde a mais tenra infância, sempre esteve envolto em um significado lindo, mágico, de amor e adoração Àquele que traria a Luz verdadeira ao mundo...
Mas eu cresci. Cresci e muita coisa mudou. Não mudou o amor e a adoração ao Menino-Deus na manjedoura, lindo e aparentemente frágil, menino a nos ensinar humildade, que nos nasce todo ano, para trazer a lembrança de que precisamos buscar a paz e a nos dar o conforto e a esperança da salvação - como celebram nossos irmãos cristãos no mundo inteiro. O que mudou foi o meu olhar. O meu foco. Não meu sentimento! ‘’Alegrai-vos com os que se alegram;’’ (Rom 15)
Hoje, como Pastora-Missionária Evangélica, possuo uma visão diferente desta época do ano, não menos linda e mágica, como a da minha infância! 
Há denominações evangélicas, amados, que aceitam normalmente esta festiva comemoração; outras há, porém, que abominam celebrar o Nascimento de Jesus, com a alegação e argumento de que a data é de origem pagã (e sabemos que é), pois, originariamente, era um culto a falsos deuses nascidos na Babilônia... 


Coloco para todos algumas das questões levantadas por nossos queridos irmãos evangélicos - mais inflexíveis - para reforçar esta sua posição radical: afirmam eles, por exemplo, que a Bíblia não ordena que celebremos o Natal...que a igreja do Senhor está vivendo a época profética da festa dos tabernáculos (que significa a preparação do caminho do Senhor)...que o Natal é uma festa que centraliza a visão do “palpável”, em detrimento do que é espiritual... que o Natal se tomou um culto comercial...que o presépio é uma continuação da veneração dos dois deuses pagãos,  Semíramis e Ninrode...que as pessoas, os povos do mundo inteiro,  celebram o Natal diante do ídolos (estátuas) e Deus é contra a idolatria...( (I Coríntios 10.14,15; Gálatas 5.19,21)...dentre outras tantas argumentações,  como Papai Noel ser um gnomo, entidade pagã. E isso, amados, sem falar na árvore, velas, guirlandas e todos os tipos de adereços, enfeites e motivos, próprios desta data festiva, o que cada um desses símbolos representa e traz em si de paganismo...

Mas, então, o que é e o que significa o Natal para mim? Qual a Estrela-guia do meu Natal? Como Pastora e Missionária Evangélica  - não radical - e com o coração aberto e feliz, confesso que a minha Estrela-guia é, e sempre foi, Jesus de Nazaré! Jesus, Ele é a minha Estrela-guia para a vida inteira...
Devemos sim, comemorar o nascimento de Cristo e inclusive trocar presentes entre os que amamos, ainda que esse costume seja originário de pagãos, vindo do povo babilônico, pois este, para mim, não é um argumento convincente! E aqui faço uma observação: esses povos colaboraram para a invenção da escrita; fosse assim, não poderíamos estar agora enviando essas nossas mensagens de Amor, Paz e Luz nesta celebração tão rica, numa fraterna interação, idealizada pela nossa amada Rosélia!...Quanta contradição e quanto radicalismo! Desnecessários. O imaginário infantil ainda precisa dos Contos de Fadas! Levar Jesus à criança é nossa obrigação de cristão. Um dia, ela entenderá que há somente um Salvador!
Considero, ainda, amados, continuar sendo válido utilizar essa data para comemorar o nascimento do Mestre, para falar a todos do seu amor e salvação e sua entrega perfeita por cada um de nós, que nos tornamos Seus filhos e não mais servos! A propósito, o Apóstolo Paulo adaptava-se ao modo de pensar das pessoas (e isso não o levava a ir contra os princípios divinos, ao contrário!) a fim de ganhá-los para Cristo! (1 Coríntios 9:19-23). Creio que podemos fazer o mesmo! Tenho absoluta certeza de que podemos usar corretamente esse dia, se não nos afastarmos da essência desta linda e gloriosa celebração. 25 de Dezembro é o grande momento no qual os corações se tornam mais sensíveis, as luzes se acendem de um modo todo especial, o mundo fica mais bonito e colorido, dentro e fora de nós! Um tempo a nos convidar ao amor, à caridade, à confraternização, e o mais importante de tudo: parabenizarmos com nossa adoração o amado Aniversariante! Ele quer um único presente: o nosso coração! Aproveitemos, pois, esse tempo precioso de interiorização para reflexões sobre nossa vida espiritual e aproximarmo-nos ainda mais de Deus Pai, que nos agraciou com esse glorioso Nascimento! E deixemos transbordar em nossos corações as alegrias contagiantes desse clima de festa natalina! Sim, Ele nasceu! Sim, Ele veio ao mundo! Sim, Ele se fez homem!
(“Andai em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade.” Colossenses 4.5) 
Portanto, amados, aproveitemos essa data tão linda e iluminada para estar com nossos parentes e amigos em nossas casas; falando da necessidade do nascimento de Jesus - minha Estrela-guia - em nossos corações, pois este é o verdadeiro presente que o “Aniversariante” quer receber! E que a premissa de que Jesus deve nascer em nossos corações todos os dias, não fique em nossas celebrações interiores, apenas e tão somente, uma vez ao ano!...
O Natal, queridos, é um propício e maravilhoso momento evangelístico!
Na paz e no amor fraterno-natalinos,


 *Pastora Missionária Graça Lacerda


Esta é a minha participação na blogagem natalina da amiga tão linda e tão querida Rosélia, do blog:
http://www.idade-espiritual.com.br/2017/12/qual-estrela-guia-do-meu-natal.html?m=1
Obrigada, amada, pelo carinho do generoso convite!
Feliz Natal! Felizes Festas! Feliz e abençoado 2018!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Meu livro - para publicação

LEXICOTERAPIA© - Adormecer e Acordar Palavras.
A obra
Classificação: paradidática
Nesse livro pretendi provar, através de pensadores, teóricos, educadores, filósofos, psicólogos e psicopedagogos, que a palavra salva e edifica o indivíduo, ou faz o papel contrário. Não se faz necessário provar que há cura, através das palavras positivas! Por isso, tratei das palavras que ‘’salvam e edificam’’. E provei que há meios simples e corriqueiros, para se aprender a praticá-las. O segredo são a técnica e o treino. A Neurociência explica, embasa e ajuda eximiamente esse Projeto, que se apresenta de cunho essencialmente psicoafetivossocial.
Está dividida em três módulos distintos, a saber:
Livro 1 Contém 69 páginas digitadas, tam 12. Apresentação do Projeto (com dois subprojetos de apoio, complementares), incluindo inúmeros comentários (interação para o projeto, através do meu blog Os Botões de Madrepérola). Trata-se de um jeito lúdico de vivenciar a mudança no universo de palavras, a fim de mudar hábitos e atitudes, para transformar, por fim, comportamentos. O objetivo inicial é a prevenção da violência nas escolas, comunidades, ONGs e sociedade em geral. . Contém a Introdução e a íntegra do Projeto inicial, baseado na obra CORRESPONDÊNCIA, de Bartolomeu Campos de Queirós (com Justificativa, Objetivos, Metas, Cronograma, Embasamento científico; Identificação de forças resistentes; Identificação de forças impulsoras; Viabilidade; Requisitos (recursos materiais e humanos); Captação de recursos e patrocinadores/parcerias; Ciclo de vida do projeto; Como implementar; Monitoração; Gerenciamento das comunicações; Ajuda e suporte técnico; Plano de gerenciamento de suprimentos; Contrato; Sensibilização; Estatísticas de acompanhamento; Atividades paralelas; Interdisciplinaridade e Culminância. Apresentação e interações em meu blog, durante sete agradáveis anos (comentários lúdicos, os quais foram transformados em ''bilhetinhos'', essência da obra Correspondência).
Livro 2 Contém 49 páginas digitadas, com belíssimos poemas, colaborações de amigos, poetas e escritores.
Livro 3 Contém 63 páginas digitadas. Parte prática do Projeto. Retomada da base científica e fundamentação teórica, com sugestões de atividades, jogos entre outras estratégias de intervenção PSICOPEDAGÓGICA. Direcionado a igrejas cristãs, de modo especial.
Nota: Essa obra está inteiramente baseada no ECA, nas Leis Brasileiras de proteção à criança e ao adolescente, (como Promenor, PETI, Conselho Tutelar), UNESCO, Declaração dos Direitos da Criança, PCNs e LDBN. Não possui nada de sofisticado ou muito elaborado. Ela é simples, funcional e didaticamente correta; atemporal, devido ao assunto tratado; e parece-me ser algo inovador na área, pois, embora o tema esteja bastante desgastado, o embasamento científico juntamente com grandes pensadores educacionais dentro desse simples projeto, fez o grande diferencial.
Duas Editoras aguardam o envio. Minha gratidão primeiramente a Deus e aos amigos tão queridos, que colaboraram, interagiram, impulsionaram!...

Graça Lacerda

Janeiro/2017