sábado, 27 de agosto de 2011

Haicai


Para quem não ouviu falar ainda, o haicai (hai-kai) nasceu no Japão por volta do século XVI.
Trata-se de um pequeno poema de forma fixa,assim como o soneto, e possui apenas três versos (não significando,necessariamente, que todo poema contendo três versos seja um haicai).
Para escrevê-lo, o poeta precisa despertar a sensibilidade, as sensações, as emoções. Nele, o poeta fala sobre a Vida, um fenômeno ou acontecimento, nunca estático, porém sempre em movimento.
Até aqui, nada novo, não é? Pois o que caracteriza um haicai é que ele não explica, não informa, não mostra tudo, apenas sugere.
É importante, no haicai, conforme demonstra muito bem a Mestra Teruko Oda em seu livro Janelas e Tempo, a presença do kigo, que pode vir em qualquer dos três versos e é o responsável pela concisão do haikai: é o cerne do poema.
Vamos ao exemplo: o "ipê" é uma planta, não é um kigo. O poeta vem, descobre o ciclo da natureza (floração, perda de folhas, transitoriedade), observa, acompanha e registra o "movimento", tornando-se parte dela, buscando o essencial. Aí, sim, o "ipê" se transforma em kigo.
No 1º verso: o autor introduz a cena (espacial e temporalmente) = " O velho tanque
No 2º verso: o autor coloca um elemento inesperado = Uma rã mergulha
No 3º verso: o autor sintetiza os outros dois e fecha a cena = dentro de si"
(Haicai de Matuso Bashô)
Folhas amarelas -
Dia a dia, meu quintal
um pouco menor.
(Tesuko Oda)

Desafio:
Vamos tentar produzir haicais? Todos eles serão postados aqui, nesse blog, com os devidos elogios!!!
Essa atividade consiste no seguinte:
Kigo: leão na floresta.
Vamos experimentar???
Postar um comentário