nnn

sábado, 28 de novembro de 2009



A treva, que incidiu sobre o teu rosto,
acendeu as feições que adivinhava
quando não via, à luz sem sal, sem gosto,
as feições que via; onde eu estava?
No mar, eu acho, o mesmo mar ignoto
por onde a hora passa avara e lenta,
e um peixe ganho perde o barco todo
e não há nada - só o que se inventa.
Eu te estudei, então, ali, no barco,
pescado o rosto que eu sabia teu,
depois que a hora naufragou ao largo,
e com a hora, claro tu e eu.
Que forma é essa, ao certo não se sabe;
esplende e voa, é estrela como é ave.

(Érico Nogueira é bacharel em Filosofia,
Mestre e doutorando em Letras Clássicas pela USP)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009



"...Uma mulher tem que ter qualquer coisa
além da beleza,
qualquer coisa de triste,
qualquer coisa que chora,
qualquer coisa que sente saudade.
Um molejo de amor machucado,
uma beleza que vem da tristeza
de se saber mulher,
feita apenas para amar,
para sofrer pelo seu amor
e para ser só perdão."
(Vinícius de Moraes)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

'Selim' de amiga...

Amigos,

esse lindo selinho eu ganhei da minha ilustre amiga Paula


e como todo selinho possui regras, esse também tem...

São deliciosas as regras que cumpro com o maior prazer e carinho!


Tenho que citar (sugerir) três livros de que gosto ou achei interessantes e repassar para cinco seguidores. Quem me conhece, sabe que isso é um tantinho difícil para mim, pois sou professora de literatura.

1. A BÍBLIA - meu número 1 sem sombra de dúvida!!!
2. A CABANA- de William Young (ficção) maravilhosa história...
3. A CORAGEM DE CONFIAR- de Roberto Shinyashiki, para citar autoajuda
4. A MORENINHA- de nosso querido Joaquim Manoel de Macedo - para citar um brasileiro.
5. POEMAS de Mário Quintana, Manuel Bandeira, J. G. de Araújo Jorge, C. Drummond de Andrade...........

Paula, acho que devo me conter, senão...

Mas enfim, convido a todos que me visitarem a pegar o lindo selo, e postarem do seu 'jeitim', o mais pessoal possível...

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Caso 'Mariposas'



Conheça um pouco da incrível história das ativistas políticas - as irmãs Mirabal - e a proposta reconhecida oficialmente em 1999 pela ONU como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.
Três das 'Mariposas', como ficaram conhecidas, foram assassinadas em 25 de Novembro de 1960.

Mais sobre o caso:

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Blogagem Coletiva - 24/11/2009

O melhor eu não vivi!

Tinha eu meus dezessete anos, ele, dezenove. Em uma dessas raras peças que o destino pensa que nos prega, fui aconselhada por adultos a fazer um passeio...

Não podia nunca supor nem adivinhar o que estaria me aguardando então. Que viagem foi aquela, meu Deus!

Chegamos ao lugar escolhido, e à noite decidimos sair um pouco, ver as ruas do lugar e conhecer novas pessoas. À noitinha, a luz clara da lua e das estrelas pareciam dar as boas vindas à Terra, ou era nosso lindo planeta saudando aquele estonteante céu iluminado!...

Com toda essa magia contagiante, cheguei a uma casa enorme, linda e aconchegante, pessoas rindo e falando felizes, com simplicidade de alma e de coração tão fortes, que a visão daquele paraíso me enlaçou instantaneamente.

Lá estava ele, ao pé do fogo da lareira, parecendo recordar o que tivera sido ou a perscrutar, tentando adivinhar, o que seria ele, dali em diante...

Absorto e...lindo!!! Assim eu o vi, e o encanto não se fez demorar: até a música que estavam ouvindo no momento parecia ter-nos escolhido para ser executada. Ao som de Love is All nossos olhares se cruzaram e nossas almas se encontraram, mudando nossas vidas para sempre!

Lá fora, o luar garoando no jardim parecia ser cúmplice também da magia desse encontro... Aqueles lindos e profundos olhos negros acabavam de me confirmar que a felicidade viria devagarinho... mansa e quieta como os suspiros que daríamos anos e anos depois!!!

Fiquei possuída de sua expressão e um silêncio sem fim tomou conta de nossos corações, transfigurou-nos e ficamos os dois ali : presente, passado e futuro fundindo-se em um tempo único, o nosso tempo.

Lá fora, a luz da lua já se esvaía e nós antevíamos que essa felicidade não penetrava os padrões materiais do nosso mundo!

Era legítimo esse sentimento como o néctar puríssimo das flores!– um amor que cresceu, ultrapassou fronteiras, de mundos e de preconceitos, febril, tímido, casto, feliz e ingênuo. Indescritível, pleno, intenso, maduro a ponto de ser colhido!

Um amor que soube ser fiel, numa doce e deliciosa fidelidade!!! Uma entrega total de almas, e tal era a sua intensidade que nos imaginávamos desfalecidos diante dessa felicidade!!!

Tínhamos a mais absoluta certeza de que Deus marcou de eternidade esse encontro.

Sabíamos dividir com todos esse amor, sem nos tornarmos egoístas, o que é próprio das pessoas apaixonadas. Nós éramos abertos e livres e todos admiravam esse amor louco e seguro, altruísta e maduro, desprendido e generoso...

Um amor que nos fez crescer, que nos fez sofrer, que nos fez sonhar, que nos fez chorar!

Para sempre vibrará esse eco sonoro em meu coração e mais ainda, em minha alma, ao lembrar de suas palavras cobrando uma promessa feita ingenuamente por mim: - será um conto de amor? – ao afirmar que ainda registraria, um dia, esse nosso lindo amor.

Nunca tive coragem de cumprir minha promessa, meu amor, mas hoje o faço com lágrimas nos olhos, porque você não poderá mais ver nem ler minha promessa inteiramente cumprida.

Diante de Deus que eternizou nossa história... aqui está.

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

Meus amados Rebeca e Jota Cê:

Quero agradecer a oportunidade única que me deram de escrever essa história verídica de minha vida; adolescente, sim, porém madura e perfeita como é o amor lindo de vocês dois!!!

Beijos......

nectar-da-flor.blogspot.com

segunda-feira, 23 de novembro de 2009



Através dessa magistral vinheta, ADOLFO PAYÉS, pintor, escultor e poeta salvadorenho inicia a campanha na luta violência contra a mulher!!!

domingo, 22 de novembro de 2009

Pequenas dicas...grandes segredos.


Mande flores♥ viaje sem rumo♥ regue uma planta♥ faça um poema♥ invente algo♥ saia para pescar♥ corra no parque♥ escreva uma carta de amor♥ vista uma roupa esquisita e vá passear♥ saia de férias♥ declare amor infinito a seus pais♥ escreva um livro infantil♥ plante uma árvore♥grite à espera de um eco♥ brinque mais com seus filhos♥ admire a natureza sem pressa♥ gaste mais tempo com seus amigos♥ sinta o vento♥ ame o inverno♥ fique menos tempo na internet♥ escale uma montanha♥ empine uma pipa♥ jogue futebol♥ aprecie o pôr-do-sol♥ viaje mais com sua família♥ dê uma boa gorjeta♥ dance na chuva♥ coma escargots♥ pinte um quadro♥ jogue na loteria♥ deixe um chuva de verão lavar sua alma♥ mergulhe sem roupa♥ fale em público♥ vá ao zoológico♥ durma com as estrelas ao relento♥ invista em ações♥ faça uma massagem♥ vá ao circo♥ faça um penteado radical♥ alimente um animal♥ adote uma criança♥ leia um livro em uma noite♥ devore uma barra de chocolate sem culpa♥ nade no oceano♥ tire leite de vaca♥ faça uma tatuagem♥ reze/ore em voz alta♥ abra o coração para quem você ama♥ perdoe♥ conte uma piada♥ faça ginástica♥ pegue uma criança no colo♥ coma um pão bem quentinho♥ abra a porta do carro para a sua namorada♥ não pense em nada♥ faça um jantar para quem você gosta♥ tenha um cachorro♥ beba um vinho♥ solte um passarinho da gaiola♥ ande descalço o dia todo♥ ria muito alto♥ abrace a vida♥ inicie uma dieta♥ beije na boca♥ dê um bom dia a seu vizinho♥ pule corda♥ vá ao cinema♥ cante no banheiro♥ faça as pazes com alguém que lhe magoou♥ chore sem vergonha de chorar♥ faça do próximo ANO o melhor de toda a sua vida!
(comercial-desconheço a autoria)

sábado, 21 de novembro de 2009

A cada um segundo suas obras


Há os que tatuam cruzes no braço, mas não conseguem tatuar no coração. Há os que colam o plástico Jesus no carro, mas plastificam seus corações.
Há os que lêem bíblias em voz alta, mas a bondade do coração está muda. Há os que oram de joelhos, mas o orgulho reina em pé em seus corações.
Há os que frequentam templos, mas não frequentam a prática do amor. Há os que louvam os anjos e santos, mas são surdos para os seus conselhos.
Há os que professam lindas doutrinas, mas sequer as praticam no próprio lar. Há os que pregam a humildade, mas não se dobram diante do irmão de outra ideologia.
Há irmãos que doam valores materiais, mas não doam a boa ação que transportam. No entanto, há irmãos que não doam nenhum bem, mas doam a si próprios.
Há irmãos que vivem no silêncio, mas seus corações gritam amor. Há irmãos que são discretos em sua humildade, mas são gigantes fraternos.
Há irmãos sem cultura e ignorantes, mas praticam a sabedoria da caridade. Há irmãos que nem conhecem doutrinas religiosas, mas já são sua própria religião no dia-a-dia.
Há amores e paixões, abrangência e limitações, vontade e má fé, humildade e orgulho...
A cada um segundo suas obras. Não importa o que a boca fala, mas o que o coração pratica.

Dalton

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Fala sério...

Aos apaixonadohttp://www.blogger.com/posts.g?blogID=2044378568483240263s... com carinho!


"Eis que és formosa, amiga minha, eis que és formosa; os teus olhos são como os das pombas entre as tuas tranças, o teu cabelo é como o rebanho de cabras (...)
Os teus lábios são como o fio de escarlata e o teu falar é doce (...)
Os teus dois peitos são como dois filhos gêmeos da gazela, que se apascentam entre os lírios.
Tu és formosa, amiga minha, e em ti não há defeito. (Ct. 4: 1-7)
O meu amado é cândido e rubicundo; ele traz a bandeira entre dez mil (...)
Os seus olhos são como os das pombas junto às correntes das águas (...)
As suas faces são como um canteiro de bálsamo, como colinas de ervas aromáticas; os seus lábios são como lírios que gotejam mirra.
As suas mãos são como anéis de ouro que têm engastadas as turquesas; o seu ventre, como alvo marfim, coberto de safiras.
As suas pernas, como colunas de mármore, fundadas sobre as bases de ouro puro; o seu aspecto, como o Líbano, excelente como os cedros.
O seu falar é muitíssimo suave; sim, ele é TOTALMENTE DESEJÁVEL (...)" (Ct. 5: 10-16)

Meus queridos:

Vejam comigo a graça de fragmentos do Diário de Um Apaixonado, de Fabrício Carpinejar:
1. Todo apaixonado é um adolescente, bobagem perguntar a idade.
2. (...) não é egoísta. Ele larga seus hábitos, para conhecer verdadeiramente quem ele gosta.
3. Se ele não curte bossa nova e ela sim, vai estudar o assunto e virar especialista numa semana.
4. Cursos intensivos são perfeitos aos apaixonados. Mais do que isso, não presta atenção. Menos do que isso, não convence.
5. Respeita ausências. Transforma os passageiros em gestantes e idosos, oferece o assento, abre passagem, não se abala com os empurrões (que amor...), está longe do mundo para brigar por espaço. (Deus!!)
6. Aproveita a neblina para deixar recado nas vidraças. (cute-cute)
7. Empresas deveriam proibir a presença dos apaixonados - (...). A produtividade cai, os contatos rareiam, as desculpas aumentam. (o autor não compreende "como não existe uma licença maternidade e paternidade para a paixão". Taí uma bandeira pra se levantar...)
8. (...) o apaixonado escreve em pensamento. Jura ter falado e não falou. (minha nossa!)
9. O apaixonado é um feriado. Ele se atrasa no trabalho porque está concentrado na falta. 'Ele é a própria falta'. ( vejam só.)
10. (...) torto e desajeitado, ele não ocupa toda a cadeira, é como se dividisse seu canto com alguém imaginário.
11. O apaixonado é um escândalo. Reclama o que ainda nem começou. (esse Carpinejar sabe mesmo das coisas!...)
12. Dança conforme canta, não dança conforme a música. (arrasou!)
13. O desejo emagrece o corpo. (tadinho!!!)
14. (...) por que sair para jantar, se não comem? (ohhh!)
15. (...) confessará medos proibidos.
16. É necessário colar o adesivo de "frágil" no apaixonado, não sobrevive no trajeto entre dois endereços. (agora já é demais, não suporto!)
17. (...) revisa o peso, a altura e a massa muscular. (compra uma tonelada de remedinhos, aqueles produtos de todas as marcas - porque nenhuma funciona! - para aquelas horríveis espinhas que, não se sabe bem o motivo, vivem "perseguindo" o pobrezinho!)
18. O homem está apaixonado quando explica sua infância. A mulher quando não fala mais dela. (Fabrício, conta pra gente: afinal, você é um visionário, filósofo, psicólogo, ou o quê? isso já não é uma pérola, é um tratado!)
19. Sobre a conversa entre apaixonados, "não é aconselhável escutar": "que idioma é aquele? Filme eslavo? (...)"
20. O vocabulário (...) regride.
21. (...). Com apenas um casal de apaixonados, o bar está lotado.
22. O apaixonado não consegue decidir nada. (...). Gasta cinco modelos de um cartão para desistir de mandar as flores. (uhhh, bebê!...)
23. Dá voltas no bairro de sua casa e ainda elogia as ruas. (romântico...)
24. Descreve os efeitos da paixão em seu corpo com minúcias de uma doença a um médico.
25. Acorda toda manhã de ressaca de algo que não bebeu.
26. (... )perde bem mais do que a cabeça.
27. Dentro de si, um engarrafamento interminável. A tarde inteira entre a primeira e a segunda marcha, entre a primeira e a segunda pessoa do singular. (irresistível...)
28. O apaixonado desaparece do trabalho de repente, discreto. E reaparece espalhafatoso. (que meigo!)
29. (...) inventa apelidos ridículos (...)
30. (...). Ama a criança que foi ou a qwue não chegou a ser.
31. (...) demora mais se corrigindo do que respondendo.
32. (...) nunca toma sopa. Qualquer barulho incomoda.
33. Termina a relação toda hora para sempre recomeçar. (que amorzinho!)
34. Adoece exclusivamente para o emprego. Está enterrado entre dois seios. ( será que lê cantares de Salomão, desta chamada?)
35. Não consegue ser sucinto, nem terminar um telegrama ou epitáfio.
36. O que adiou numa vida completa numa noite. ( Último Tango em Paris?)
37. A felicidade é uma palavra comprida demais e o apaixonado tem pressa.
Leia mais, no livro ...

Meus amores, faço a cada um essa 'perguntinha que não quer calar'...
Em qual desses itens você está se vendo??? Não precisa me responder...

Para pensar:
"Me dê um bom dia e eu te darei uma boa noite"...

sábado, 14 de novembro de 2009


BEIJO ESCARLATE

Posso ser
A navalha da traição
A gilete do sadismo
Ou punhal no coração

Pode ser
Um medo cortante
Com sangue corante
De paixão constante

Deixe soar
Aquele verso em desejo
Na ginga do berimbau
Todo sonho num beijo
Etc e tal!
Gerson Guerra


Gosto quando me falas de ti...


Gosto quando me falas de ti... e vou te percorrendo
e vou descortinando a tua vida
na paisagem sem nuvens, cenário de meus desejos
[tranqüilos

Gosto quando me falas de ti... e então percebo
que antes mesmo de chegar, me adivinhavas,
que ninguém te tocou, senão o vento
que não deixa vestígios, e se vai
desfeito em carícias vãs...

Gosto quando me falas de ti... quando aos poucos a luz
vasculha todos os cantos de sombra, e eu só te encontro
e te reencontro em teus lábios, apenas pintados,
maduros,
mas nunca mordidos antes da minha audácia.

Gosto quando me falas de ti... e muito mais adiantas
em teus olhos descampados, sem emboscadas,
e acenas a tua alma, sem dobras, como um lençol
distendido,
e descortino o teu destino, como um caminho certo, cuja
[primeira curva
foi o nosso encontro.

Gosto quando me falas de ti... porque percebo que te
[desnudas
como uma criança, sem maldade,
e que eu cheguei justamente para acordar tua vida
que se desenrola inútil como um novelo
que nos cai no chão...

(J G de Araújo Jorge)

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Mamografia digital gratuita - ajude esta campanha


Queridos Amigos e Amigas, O seu clique solidário não custará nada. Digam aos seus amigos ainda hoje! O Instituto Neo Mama de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama em conjunto com a Equipe do Site do Câncer de Mama gerenciam uma campanha que necessita de cliques para alcançar quotas que lhes permitam oferecer mamografias gratuitas a mulheres brasileiras necessitadas.

Trago do blog da Beta

o apelo e convite:

“ O Instituto do Câncer, como todos sabemos, é uma instituição seríssima. Cabe a nós atender sua solicitação e ampará-lo, pois se depender do Governo (federal, estadual e/ou municipal) será seu fim!Vamos salvar o site do câncer de mama? Não custa nada. Digam a 10 amigas para dizerem a 10 amigas hoje! O Site do câncer de mama está com problemas, pois não tem o número de acessos e cliques necessários para alcançar a cota que lhes permite oferecer UMA mamografia gratuita diariamente a mulheres de baixa renda. Demora menos de um segundo, ir ao site e clicar na tecla cor-de-rosa que diz ‘Campanha da Mamografia Digital Gratuita’. Não custa nada e é por meio do número diário de pessoas que clicam, que os patrocinadores oferecem a mamografia em troca de publicidade.Queridas amigas e seguidoras levem este selinho com vocês e passem a todas as suas amigas vamos fazer uma corrente para que não seja preciso fechar este site. Conto com todas vocês.”



quarta-feira, 11 de novembro de 2009




Mais um passo...
um passo apenas...
e eis o futuro,
que já se torna presente,
e dentro de instantes,
já é passado novamente!

(graça lacerda- poetando..
11/11/09)

A blogagem vem aí... participe!




Para os interessados e melhores informações, acessar:

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Buscando inspiração...



Hilda Hilst


"Aflição de ser eu e não ser outra.
Aflição de não ser, amor, aquela
Que muitas filhas te deu, casou donzela
E à noite se prepara e se adivinha
Objeto de amor, atenta e bela.

Aflição de não ser a grande ilha
Que te retém e não te desespera.
(A noite como fera se avizinha)

Aflição de ser água em meio à terra
E ter a face conturbada e móvel.
E a um só tempo múltipla e imóvel

Não saber se se ausenta ou se te espera.
Aflição de te amar, se te comove.
E sendo água, amor, querer ser terra."
(Elbesoadolfopayés)

Buscando inspiração para a blogagem...


Pedi ao Senhor a graça
de ter para sempre a graça
presente nos sonhos meus.
E Deus como é cheio de graça
me deu o encanto e a graça
dos lindos olhinhos seus...

Presente de Deus é graça
bondade divina é graça
graça é o meu amor.
Graça é o meu sonho lindo
que espero não seja findo
Graça, menina flor!

(letra de uma música feita especialmente para
Graça Lacerda, viram que cute cute??? segredo...)


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Convite

Queridos!


Vamos falar um pouco daquilo que alimenta nossa vida e enche nossa alma de luz???...

Essa blogagem é para todos aqueles que quiserem vir com a gente!!!

Participe...

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A força das Palavras...


"Educação Moral e Cívica não era apenas uma disciplina escolar, mas antes uma doutrina que caminhava lado a lado da Segurança Nacional" no período militar, conforme afirmam Vanessa Kern de Abreu eGeraldo Inácio Filho em seu
Programa de Pós-Graduação em Educação -
Universidade Federal de Uberlândia.
Era, portanto, DOUTRINA, DISCIPLINA E
PRÁTICA EDUCATIVA, conforme título do Artigo.
Atendendo a pedido de meu amigo Marco Santos, (do antigasternuras.blogspot.com) resolvi adiantar este post...


ALFABETO CÍVICO

(Atividades/continuação do Projeto Para a Paz: FAZER ADORMECER E FAZER ACORDAR PALAVRAS)




A..................Amor, autoridade, aluno, atitude, ação, autenticidade, artilharia, arsenal, ardor, augusto, audácia, altivo, altivez, altaneiro, albor, alvorecer, aurora, alvorada, aliança, aulas.
B..................rasil, brasileiro, brasão, brado, bárbaro, bandeira, batalhão, bravo, bravio, batalha, bravura, bonança, berço, bússola, bem.
C..................ivismo, cidadania, cívico, crescimento, correção, conquista, competência, cultura, consciência, construção, conhecimento, cuidado, canto, clarim, clemência, clarão, caráter, comemoração, cores, cumprimento, comportamento, coroa, combate, calmaria.
D..................outrina, disciplina, diálogo, Deus, dever, desfiles, defesa, disposição, direito, destemor, destemido, dignidade, (não) discriminação, democracia, discípulo, desenvolvimento.
E..................naltecimento, educação, Estado, estadista, ensino, ética, evolução, evento, Exército, equilíbrio, enfeites, esperança, eflúvio, enleio, esplendor, estrada, espada, exaltação, excelso, escola.
F..................orça, formação, fraternidade, feroz, família, fortaleza, fecundidade, festividade, fremente, florestas, florão, futuro, fulgor, farol, Forças Armadas, farda, façanhas.
G..................randeza, gratidão, gigante, gente, gentil, guerreiro, guerra, governador, governo, garbo, garra, gozo, glória.
H..................erói, heroísmo, hino, heroico, honesto, honestidade, honra, hierarquia, humano, humanidade, história.
I...................deal, idealismo, impávido, inteligência, Instituição, informação.
J..................ustiça, jovem, juvenil, juventude.
K.................
L.................ei, liberdade, lisura, luta, lume, louros, lampejos, labor, laurel, lealdade.
M................oral, missão, mapas, mestre, mastro, magno, marcha, mártir, magnitude, memória, militar.
N.................acionalismo, nação, normas, nobreza, nobre.
O.................ordem, obediência, organização, opinião, ouro, opulência, orgulho, ousadia.
P.................aís, patriota, patriotismo, potência, palavras, plangente, pendão, peito, policial, pavilhão, penhor, pátria, política, presidente, parada, produção, prefeito, progresso, professor, passado, presente, participação, povo, patrimônio, prudente, preito, poder, Panteão, paz, pacífico, porvir.
Q.................uestionamentos...
R.................esponsabilidade, rigidez, riqueza, respeito, remissão, resplandecente, radiante, rigor, razão, raça.
S..................egurança, semente, selva, sociedade, soldado, solenidade, sinceridade, singrar, saber, saudação, sagrado, sublime, símbolo, solidariedade, soberania, sobranceiro, serviço.
T.................rabalho, trabalhador, tradição, trincheira, tesouro, talento, triunfo.
U.................nidade, união.
V.................ultos, Vida, vitória, valor, valente, vínculo, virtude, vigor, ventura, veneração, viril, varonil.
W................(tem aquele...)
X.................(será que tem?)
Y.................(não lembramos)
Z.................zelo (sugestão do meu primo Guilherme, estudante do CENEC, 1º ano EM)
Obs.: aguardamos sugestões!!!

PROJETO INTERDISCIPLINAR:

Justificativa: Nossos jovens e nossas crianças, hoje, não têm como aproveitar a riqueza que foi o momento da implementação e da vivência da disciplina de Moral e Cívica nos Currículos escolares dos anos 70. Os adultos de bem que o digam, e mesmo não apreciando na época, hoje eles entendem e sabem o quanto essa matéria (que funcionava também como uma "doutrina e prática educativa") integrou o seu universo interior, moldou o seu comportamento social e forjou o seu caráter. VERDADEIRAS PÉROLAS.

Estratégias:
Contextualização das palavras (através da leitura de poemas e textos relacionados), utilizando-as com propriedade.

Objetivo geral: através de uma prática educativa, incutir nos alunos palavras do universo cívico, as quais já não mais estão fazendo parte do seu dia-a dia.
Objetivos específicos:
a) Resgatar, no docente de hoje, aquele espírito "patriótico" de algumas décadas atrás.
b) Fazer com que percebam que, mesmo diante de todos esses fatos que vimos enfrentando hoje em nosso país, nosso sentimento de orgulho pela "pátria nossa" deve ser, e muito, preservado, conservado e colocado em prática.
c) Levar os alunos a considerarem que: estas palavras do universo cívico podem e devem fazer parte de seu universo diário, tais como verdadeiras e belas pérolas a serem admiradas.
Atividades para gravá-las:
1. As palavras já estão em ordem alfabética - colocá-las agora em ordem rigorosamente alfabética.
2. Verificar, nos hinos e poemas, de onde foram retiradas essas palavras e acrescentar mais algumas. (Pesquisa).
3. Utilizar o dicionário para formar frases com a união de, no mínimo, cinco palavras.
4. Ilustrar, em papel "cançon" aquelas que mais chamaram a atenção.(Arte).
5.Em equipe, construir cenas, cenários, imaginar roupas (indumentárias), criar diálogos e narração para encenar o que foi proposto.(Dramatização)
6. Escolher 20 palavras e traduzir/verter para o inglês.
7. Confecção de caixinhas artesanais para guardar as palavras: A, B, C, D ... (Arte)
8. Observar, na prática, o colega mais próximo: se mudou de conduta, revelando um comportamento mais ético, respeitoso e solidário.
9. Fazer a "espinha de peixe".
10. Fazer levantamento de hipóteses, dados e estatística. Soluções para problemas levantados. (Gráficos-Matemática).
11. Confeccionar o "acervo rotativo" ( ilustrando-o com gravuras de revistas e jornais).
12. Assistir a noticiários atuais (para comentários em plenária).
13. Interpretação do Hino Nacional.
14. Ordem Direta do Hino.
15.Paródia do Hino Nacional Brasileiro do jornalista José Simão- criar uma paródia, a partir do modelo.
16. Observar que há somente um (01) verbo dentre todas essas palavras. Localizá-lo. Mudar a classe de palavra (substantivos e adjetivos), criando alguns outros.
17. Montagem de um "dossiê da Pátria", observando a Linha do Tempo.(História e afins transversais).
18. Estudo de caso de nosso "momento histórico": através de leitura de jornais, revistas, noticiário da TV e blogs de jornalistas, verificar que palavras estão sendo "judiadas", deixando de serem cumpridas. Justificar com texto e autoria.
19. Verificar, na História de outros países, através da literatura (leitura de obras consagradas), a semelhança entre o sentimento cívico, desse, com o do nosso país, bem como costumes, observações, rituais e festividades cívicas, nacionais. (História e Literatura).
Onde aplicar:
Nas escolas, nas salas de aula, na comunidade, na vida.
Quando aplicar (tempo):
Sempre: flexível, eterno e interminável é o Projeto que promulga a moral, o civismo, os bons costumes.
Culminância:
Que os jovens, as crianças (e os adultos) possam, a partir do conhecimento e prática desse Projeto, VIVENCIAR os objetivos propostos.

Colegas,
esta é apenas uma pequena sugestão de trabalho. Poderão acrescentar muitas outras, livremente!

POEMAS:

Leiam e vejam agora que lindo (e emocionante) post de minha amiga Paula do quintaldapaula.blogspot.com

ESTOU VELHO
Não gosto dos sem terra. Dizem que isto é ser reacionário, mas não gosto de vê-los invadindo fazendas, parando estradas, ocupando linhas de trens, quebrando repartições públicas, tentando parar o lento progresso do Brasil.


Estou velho.


Não acredito em cotas para negros e índios. Dizem que sou racista. Mas para mim racista é quem julga negros e índios incapazes de competir com os brancos em pé de igualdade. Eu acho que a cor da pele não pode servir de pretexto para discriminar, mas também não devia ser fonte para privilégios imerecidos, provocando cenas ridículas de brancos querendo se passar por negros.


Estou muito velho.


Não quero ouvir mais noticias de pessoas morrendo de dengue. Tapo os ouvidos e fecho os olhos, mas continuo a ouvir e ver. Não quero saber de crianças sendo arrastadas em carros por bandidos, ou de uma menininha jogada pela janela em plena flor de idade. Ou de meninos esquartejados pelos pais por serem 'levados'... Meu coração não tem mais força para sentir emoções. Me sinto mais velho que o Oscar Niemeyer. Ele, velho como
é, ainda acredita em comunismo, coisa que deixou de existir.


Eu não acredito em nada. Estou cansado de quererem me culpar por não ser pobre, por ter casa, carro, e outros bens, todos adquiridos com honestidade, por ser amado por minha mulher e filhos.


Nada mais me comove... Estou bem envelhecido.


E acabo de cometer mais um erro! Descobri que ainda sou capaz de me comover e de me emocionar. O patriotismo de uma jovem de Joinville usando a letra do Hino Nacional para mostrar o seu amor pelo Brasil me comoveu.


Na cidade de Joinville houve um concurso de redação na rede municipal de ensino. O título recomendado pela professora foi: 'Dai pão a quem tem fome'. Incrível, mas o primeiro lugar foi conquistado por uma menina de apenas 14 anos de idade.


E ela se inspirou exatamente na letra de nosso Hino Nacional para redigir um texto, que demonstra que os brasileiros verde amarelos precisam perceber o verdadeiro sentido de patriotismo. Leiam o que escreveu essa jovem. É uma demonstração pura de amor à Pátria e uma lição a tantos brasileiros que já não sabem mais o que é este sentimento cívico.

"Certa noite, ao entrar em minha sala de aula, vi num mapa-mundi, o nosso Brasil chorar:


O que houve, meu Brasil brasileiro? Perguntei-lhe! E ele, espreguiçando-se em seu berço esplêndido, esparramado e verdejante sobre a América do Sul, respondeu chorando, com suas lágrimas amazônicas: Estou sofrendo. Vejam o que estão fazendo comigo...Antes, os meus bosques tinham mais flores e meus seios mais amores. Meu povo era heróico e os seus brados retumbantes.


O sol da liberdade era mais fúlgido e brilhava no céu a todo instante. Onde anda a liberdade, onde estão os braços fortes? Eu era a Pátria amada, idolatrada. Havia paz no futuro e glórias no passado. Nenhum filho meu fugia à luta. Eu era a terra adorada e dos filhos deste solo era a mãe gentil.


Eu era gigante pela própria natureza, que hoje devastam e queimam, sem nenhum homem de coragem que às margens plácidas de algum riachinho, tenha a coragem de gritar mais alto para libertar-me desses novos tiranos que ousam roubar o verde louro de minha flâmula. Eu, não suportando as chorosas queixas do Brasil, fui para o jardim. Era noite e pude ver a imagem do Cruzeiro que resplandece no lábaro que o nosso país ostenta estrelado.

Pensei... Conseguiremos salvar esse país sem braços fortes? Pensei mais....Quem nos devolverá a grandeza que a Pátria nos traz? Voltei à sala, mas encontrei o mapa silencioso e mudo, como uma criança dormindo em seu berço esplêndido.'”
ARQUIVEI EM PRÁ PENSAR NA CAMA
(Quintaldapaula.blogspot.com)



E deliciem-se agora com isso (!) por favor:


Meus cadernos escolares tinham esta capa, aí, à direita. E esta contracapa, aí na esquerda. Você acha cafona? Brega? Patriótica demais?
Tudo bem. Respeito a sua opinião. Só que hoje, quem estudou com estes cadernos, tem uma antiga ternura para lembrar. Acho difícil que daqui a trinta anos alguém vá lembrar de um caderno especial que teve com o Dado Dolabella na capa.
Hoje, lembro com sorriso nostálgico que meus cadernos de antigamente, incentivavam o amor pela Pátria e ensinavam a cantar o Hino Nacional. (Saber cantar o Hino Nacional, além do seu valor cívico de símbolo de cidadania, ainda serve para não fazer feio de quatro em quatro anos, na abertura dos jogos da Seleção Brasileira).
*


E vejam mais palavras do meu amigo jornalista Marco Santos, do antigas ternuras:
Há cerca de um ano atrás, escrevi um texto sobre a falta de civilidade e cidadania das pessoas, não só daqui do Rio, mas de diversos outros lugares deste Brasil varonil. Tudo o que está descrito no texto, que republico resumidamente aqui no Antigas Ternuras, continua valendo. Aliás, posso dizer que a situação piorou bastante.
Recentemente fui ao cinema e lá, em diversas ocasiões, eu tive que fazer exercício de respiração, recitar mantras, para não explodir e sair descendo o braço num bando de mal-educados. Pegar um cineminha hoje em dia virou teste para monge budista. Daqueles iluminados, que já transcenderam a existência terrena e sublimam tudo.
O que não é, definitivamente, o meu caso. Fico na poltrona pensando em coisas materiais como escopetas, metralhadora AR-15, bazucas...Que Deus me perdoe.

Viu só, querido aluno? Ninguém suporta mais falta de linha, de respeito, de decência nos lugares que frequentamos... Vamos agir civilizadamente, por favor.É bonito e você vai se sentir muito melhor...

Vejam também que maravilha esse poema de Corrêa Júnior:

Minha Terra

Deus olhou todas as terras do mundo,
E viu que no mundo faltava
Uma terra qualquer, que Ele tinha esquecido
Na semana bíblica da Criação...
Então,
Deus, que estava liricamente amável,
Começou a traçar o seu plano de Artista,
Como se compusesse um poema quinhentista.
Riscou sobre um grande papel verde
Uma porção de desenhos amarelos;
E, depois, lentamente,
Voluptuosamente,
Nessa tarde de divina ternura,
Foi compondo uma paisagem caprichosa...

E mandou que o Sol a tornasse fecunda
E luminosa.
Deu-lhe um chuveiro de estrelas,
Para as noites cálidas; e encheu-a de tudo
Que o espírito e o corpo exalta;
E pôs em tudo um riso primaveril...

E, soprando sobre as caravelas de Cabral,
Segredou para o Atlântico: - "Rumo ao Brasil!...".

Carinho e caldo de galinha não fazem mal a ninguém...

Para homenagear os Botões...

Meus queridos:
esses gentis selinhos eu recebi de uma forma muito doce e especial,de um amigo recente na blogosfera.
É uma graça de pessoa e seu blog possui um diferencial para mim: sempre que estou lá sinto uma ternura muito intensa que emana desse rapaz, estudante de psicologia!!!
J César, estou até agora emocionada. Estava só aguardando a blogagem coletiva terminar para lhe dedicar um post, pois você realmente merece!!!
Meus amores,
Vale bastante conferir...

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

PAZ, SEMPRE...

(adolfopayés)
Amigos!!!

A blogagem coletiva está chegando ao seu final!
Foram mais de 'trinta' postagens até agora e isso me emocionou bastante, pois fui a segunda a aderir e não imaginava o sucesso que seria!
Vamos em frente...

terça-feira, 3 de novembro de 2009

A minha escola pela não violência...




'Violência
segunda-feira, 5 de novembro de 2007'

Um mal que vem crescendo cada dia mais na nossa sociedade, viver com medo de sair de casa , de ter uma casa com muro baixo ou sem um sistema de segurança, estar do lado de dentro das grades nos condominios, tudo isso já é bem corriqueiro, e faz parte da vida da maioria das pessoas.
Pensar numa solução, não sei as vezes tenho a impressão que não se quer tomar as devidas providências, e enquanto isso compra-se carros blindados, deixa-se de sair a noite, evita-se certos lugares.
Há quem entre numa certa neurose de não sair de casa de deixar de fazer certas coisas, mas isso está bem longe de ser a solução.
Mas não vim falar propriamente dos acontecimentos que vemos nos noticiários todos os dias, o que tenho percebido é uma mudança de valores, e costumes a respeito deste tema.
Tudo na vida começa na forma imaterial, nos pensamentos, nos projetos, nos hábitos e hoje vejo que a violência infelizmente está ganhando uma face de "boazinha" falo isso a medida que vejo que os filmes que mais ganham créditos são os mais violentos, um dia destes estava vendo o filme "O labirinto do fauno" estava animada, pois já tinha ouvido falar do filme, mas não sabia nada sobre a história. Tudo começa com a fantática história de uma menina que supostamente seria uma princesa, e que teria que cumprir tarefas para ter de volta a imortalidade, ela recebe um livro que é escrito a medida que acontecimentos ocorrem com ela, essa parte fantástica, mítica é super elaborada, com efeitos especiais, tornando o filme interessante, mais paralelo a isso ocorre a história da sua vida real, onde ela tem uma mãe submissa e um padrasto que é um monstro, nesta parte do filme, a violência impera, com toda a realidade possível e permitida pela tecnologia, é esfaqueamento, sangue jorrando para todos os lados, conclusão não consegui ver estas partes, já que abomino este tipo de filme, com isso um filme que tinha tudo para ser bom , na minha opinião se tornou péssimo.
A sutilesa de ações não existe mais, e se formos argumentar, escutamos. __ isso é a realidade, temos que ver.
Quanto escuto este tipo de coisa fico perplexa, as crinças assistem a desenhos animados com o mesmo grau de violência, e riem....e os pais riem junto, então o que queremos? isso está tão incutido no nosso modo de vida, que quando vemos um ato de violência a tendência é acharmos normal.
Para que as coisas mudem o primeiro passo, nós temos que dar a nível ideológio, primeiros mudamos os valores, depois o comportamento, só assim com bom senso, poderemos viver com mais harmonia.
Adriana
Postado por Adriana às 11:06
Olá :)
Sou aluna em Coimbra e como vi aqui que também se interessam pelo tema da 'violencia' decidi deixar aqui o meu blog sobre o mesmo tema, Eu criei o blog com 2 colegas mas de momento sou eu quem actualiza o blog. Pedia a quem estivesse interessado e a quem tivesse um tempinho para que lá fosse comentar ou visitar o blog. Obrigada .
21 de Julho de 2009 10:34

Amigos,
Esses dias, postando comentário em um dos inúmeros blogs amigos, encontrei esse de uma aluna de Coimbra, e fui conferir.
É muito bom o blog desses estudantes!
Eles trabalham mesmo em prol da não-violência. Vale a pena ver.
Achei interessante também o post da Adriana, pois ela pregou o mesmo discurso meu, quando diz que primeiro mudam-se os valores, depois o comportamento...
Estão de parabéns.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Num momento de profunda solidariedade...


Eu quero a poesia por vestido

Quando minha alma esteve presa
e quando os grilhões me atormentavam
quando fui ultrajada
torturada
vilipendiada
calada
Quando minha alma esteve aprisionada
e tudo era mágoa
revolta
tristeza
e sofrimento
e dor
Quando sentia o peso da angústia
e me pesava o frio da prisão
me vi numa trincheira
fizeram-me sentir um lixo, um verme.
Quando minha carne flagelada
e minha alma andava nua
e descoberta
senti medo
e fome.
Quando havia um grito surdo
e abafado
dentro em mim
amordaçado
explodindo na noite do meu peito
a solidão gritava
um urro entranhava
e era maior que eu
uma angústia crescia
fazendo ressoar na escuridão.
Nenhum eco ouvia
era tudo silêncio
e eu vagava como um louco pela rua
- e quis a poesia por vestido -

Ainda tenho o peito rasgado
dilacerado
escuto ainda o grito do silêncio
um clamor
dentro em mim
mas já não há espaços para angústia
medo
dor
nem aflição.
Minha alma novamente libertada
saiu do cárcere
rompeu correntes
as trevas não assediam
não há tormentas
não me torturam
não há lamento
não sou tristeza
Passou o gelo, o frio, a solidão
Já não há cadeias de ferro
nem grilhões
seguiu seu destino a escuridão
Naquele que sofreu mais do que eu existe amor
e há vitória.
Jesus, teu grito de liberdade é meu troféu
já não importa o quanto hei sofrido
rasga meu peito novamente
sou poeta
- e quero a poesia por vestido! -

Graça Lacerda 01/11/09