nnn

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Série - Homenagem a Minas Gerais IV



(miltonnascimento/mariarita: lindo!!
clique ao pé da página, para parar
a música.)

Chegamos.
Estou entre a porteira e o sonho. Cheiro de leite morninho tirado na hora. O orvalho brilha no capinzal e chove torrencialmente no campo. Há neblina no milharal.
Diviso o velho riacho e escuto ainda o eco da criançada gritando, tomando banho. Fecho meus olhos e revejo num ‘flash' cenas alegres da infância. Aprendi desde cedo o gosto de ser mineiro.
Ser mineiro é o cheiro delicioso do canteiro de hortênsias, das flores silvestres e da terra molhada após a chuva. É a nostalgia da velha cozinheira cantando e cozinhando no fogão a lenha, enxugando no avental o suor de seu rosto:algo convida pra logo, tem fumaça na chaminé...
Ser mineiro é ter fundo na alma o gosto da terra. É enxergar verdinho, tentando enganar um pouco a saudade, a lembrança dos filhos longe, no estrangeiro...
Ser mineiro é curar umbigos de criança e jogar todos eles na roseira, que é pra dar sorte.
É sentar na varanda todos os dias à mesma hora, no vagaroso tecer dos anos, só pra ouvir o canto majestoso do sabiá.
Ser mineiro é a fala simples do camponês: hoje vai ter ‘cripe’ da lua, as crianças estudadas da cidade segurando o riso, misto de interrogação e respeito!
É ser como São Tomé – não sair acreditando nas ‘conquistas da ciência’, mas preferir ele mesmo testar.
É ter flores de todas as cores e gostar delas.
O gosto de ser mineiro está nas grandes vaquejadas, nas pescarias à beira do rio, covos armados no verão.
Ser mineiro é afirmar de pés juntos que o Everest não é assim o pico mais alto do mundo, tamanho não é documento...
É acordar nas madrugadas com o mais gostoso despertador, cocoricando nas manhãs fresquinhas de amendoim torrado, socado de noite no pilão. É paçoca com gengibre na panela.
Ser mineiro é o chá de hortelã ‘pra curar as bichas’, e o bicho-de-pé coçando, doendo...
É envelhecer sorrindo, sorriso de poucos dentes, enfrentando assombrações com a bravura de quem sabe a que veio!
Ser mineiro é abençoar a lua clara, iluminando a estrada, e o sol escaldante dos dias de verão.
Ser mineiro são as festas do Santo Padroeiro, a Folia de Reis. Acender vela pro santo e depois brigar feio com ele.
É a fé mais inabalável, a crença mais singela, nas rezas de família, misturadas, confundidas com superstições...
É sentir na alma inteira que é sempre tempo de festa e é hora de celebrar.
Ser mineiro é aquela correria: - tarde, compadre; tarde, comadre! Lá evém chuva! E todos correndo para cobrir depressa os grãos de café no terreiro (mais preciosos que as pedras de anel chique das comadres da cidade...)
É enxergar molhado a plantação arrastada pela enchente de janeiro! Ter fé que no ano que vem não vem aguaceiro igual.
Ser mineiro é vislumbrar por entre as montanhas um pedaço reduzido do paraíso. Deitar e esticar-se na rede, aproveitando a sombra e a fruta das mangueiras, carregadas de pardais.
Enxerguei cedo que ser mineiro é reviver tradições, remexer o passado, e, como diziam meus pais, não saber ‘contar um conto sem aumentar um ponto’! É ter a dignidade de um fio de barba. É gostar de ser herói e morrer por uma causa. É jogar limpo. É ser honesto até debaixo d’água e não trair um amigo nem que a vaca tussa...
É a flor do feijão estalando ao sol e a sombra gostosa e amiga nos terreiros de café. É o gado enfileirado, sabendo a hora de voltar.
Ser mineiro é ser simples: é o doce em compota na despensa, provocando mistério. É o bule de café quentinho e a galinha esperando, desconfiando do destino...
Leitão, linguiça, mandioca:pode entrar, que a casa é nossa.
É arrear o cavalo e seguir em frente. É tirar o chapéu ao ouvir o santo nome de Deus, numa harmonia perfeita entre o criador e sua criatura!
Viola que chora, saudade que punge no peito.
Ser mineiro também é ser modesto: comprar uma parabólica, não entender nada de Internet (ou entender e acessar o computador, mas nunca perder a sintonia com as suas raízes).
Ser mineiro é o bezerrinho ferido retirado do açude. A vaca mugindo, literalmente atolada no brejo. É conhecer que vai chover quando o calo dói e a saracura pia, longe.
Ser mineiro é registrar nosso folclore a cada ano, numa corrida desenfreada contra o tempo. É consertar o patrimônio hiostórico, pedindo desculpas ‘apológicas’ aos nossos antepassados...
Ser mineiro é ter memória: guardar no museu e no coração toda nossa grandiosa história!
Orgulho-me de você, meu irmão mineiro, trabalhador das minas, calção por vestido no corpo e lanterna pendurada na rocha. Você, lavrador das campinas, que carrega na alma a eterna sabedoria dos anos. De você, operário das máquinas, chorando o custo de vida.
Saúdo o peão ponteiro, o fiador e o meeiro.
Minas do artesanato e da grande industrialização. Do futebol e dos grandes craques.
Minas dos grandes sertões e veredas, das corredeiras, das grutas, das lindas chapadas, da mais bela geografia!
Minas de Milton Nascimento e Adélia Prado. Elias José e Edson Arantes, Pelé. Olavo Romano e Drummond. Guimarães Rosa e Otto Lara Resende. Vanderlei Timóteo. Políticos; estadistas; grandes nomes da poesia e da prosa; ilustres; guerreiros; severos; sinceros.
Ser mineiro é, enfim, chuchar a lua com bambu, tirando o chapéu pro Olavo, o Romano, mas mineiro por vocação e berço.
É o glorioso cair da tarde. O sino da igrejinha repicando sinos, embalsamando a dor. É o silêncio da Ave-Maria.
Do outro lado da porteira redescubro valores. Já não posso dar marcha-a-ré: é hora de pegar o trem da história e celebrar, ainda que tardio, o gosto de liberdade – o gosto de ser mineiro!


Graça Lacerda- 1998
(Essa  crônica foi considerada "hors concours" quando da realização do 5º Concurso Literário da Superintendência Regional de Ensino de Pouso Alegre, para a Semana Literária de mesmo nome, 1998).


domingo, 24 de outubro de 2010

O Amor



O Amor é a graça mais preciosa da vida
com o amor, beleza e esperança
Vertem-se sonhos, fecha-se uma ferida
Vem alegria, traz a paz e a temperança




Tem o amor, o dom para tudo amenizar
Para a vida, do sepulcro que encerrava
As sementes que queriam germinar
Com os frutos que na alma abençoava




Vem Amor, conduzir o peito aflito
Abraçar os corações enfermos, sedentos
Salva-nos das desventuras, desalentos




Vem curar, livrar-nos do mal que irradia
Das dores que me afundam nesta agonia
Nos ferrolhos, sutis dos meus tormentos.




Poema dedicado a mim, pelo querido poeta Antônio Lídio,  do blog Vozes de Minha Alma, a quem agradeço profundamente a delicadeza e a perfeição desses versos!!


Estou em dívida com o poeta, e ele sabe que  seu presente está sendo cuidadosa e carinhosamente preparado!!! 
Pretendo entregar-lhe  quentinho e saboroso, como o pão recém-saído do melhor forno a lenha,  daqui do sul das Gerais...!


Toni, obrigada, amigo! É uma honra postar seu poema.
Conte sempre comigo no que precisar.



sábado, 23 de outubro de 2010

A Ti















(clique ao pé da página, para parar
 a música ambiente,
 se desejar ouvir)


(A alguém. Ele sabe quem é!!)


Eu te ofereço, amigo, este soneto
E os versos que compus, pensando em ti
Eles serão um elo cristalino
Selando o tempo mais sublime que vivi!

Trouxeste-me o vento benfazejo
Que sopra de mansinho em nossas vidas
Para brindar tão puro sentimento
Dá-me tua alma nobre e tão querida!

E eu te ofereço ainda mais que afeto
Nos versos que compõem esse poema
Guarda-o contigo no recôndito de ti.

O sentimento que nasceu devagarinho
Celebra alegremente neste evento
E sê, junto comigo, mui feliz!

(Graça Lacerda- outubro/2010- 
COM O MAIOR AMOR DO MUNDO) 

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Série - Bibliotecas - X



Amados,


Para esta décima postagem da série Bibliotecas,  escolhi um dos mais belos textos que já vi, escrito por quem entende do riscado... e do bordado !!! 
Fiquei apaixonada por ele.


A autora? Minha querida amiga Si , do blog De Si Para Si, da cidade do Porto, Portugal. Imaginem que a Si queria colocar "pontos finais" em suas lindas linhas coloridas e brilhantes...tsc, tsc...então, fui  lá em Portugal navegando numa Barca de Flores*, pedir gentilmente a ela que não fizesse isso, Si, que  as laçadas do é, as perninhas do á e os rabinhos do quê são muito importantes para nós, para que teçamos juntas histórias encantadoras como essa que ela escreveu! 




"...às vezes distraio-me de mim e, sem querer, vou."!

E assim, de laçada em laçada, ela vai tecendo suas linhas...






Para  seu prazer e deleite, esse momento de gostosa leitura:



O Bibliotecário de Sonhos




"Naquela casa imponente vivia um homem só.
Na tabuleta suspensa no portão do fim da cerca, dizia 'Proibida a Entrada'.
Mesmo assim, entrei.
Avancei pelo caminho calcetado de musgo, a afundar os pés. Por momentos fui raíz  trepadora da vereda acima, um passo e outro a querer pertencer ali; pela sedução, pelo mistério das coisas que não sabia.
Deixei pendente um suspiro ao chegar ao colosso de lenho vivo transformado em porta. Rangendo, cedeu-me a vontade de prosseguir na descoberta e ele nem deu por mim.
Estava sentado numa cadeira de fumo e movia-se, cadeira e tudo, com a destreza que só os Etéreos possuem: de um lado para o outro, acima, abaixo e mais além; carregado sem esforço, de volumes de caixas decoradas com símbolos secretos.
Deslocava-as com um girar do indicador, apontando em várias direcções da vasta sala, pequena afinal para a imensidade da função: ali se guardavam, metodicamente, todos os sonhos da raça humana; os de grandeza, os puros, os pecaminosos, infantis, coloridos, a preto e branco. Até os cor-de-rosa, os de voar e de cair, todos catalogados, seriados e identificados, prontos a usar; bastaria um girar de indicador.
Deslumbrei-me. 
Quis levar os melhores comigo, escolhê-los a dedo para sonhar bem toda a vida; quis povoar-me de noites evadidas de destinos já urdidos, sonhar alto e alcançar os nunca sonhados. 
Quando dei por mim, sonhava.
O bibliotecário de sonhos catalogou-me, seriou-me, identificou-me e guardou-me numa caixa decorada com símbolos secretos.
Na tabuleta suspensa no portão do fim da cerca, dizia 'Proibida a Saída'."



E  para fundo musical, 'Dreamcatcher' dos Secret Garden...!!!


Precisamos mais?????????


Parabéns, Si, tua história muito me comoveu, e espero que meus amigos tenham apreciado também!!



Sim "porque viver é um  privilégio absoluto", não é , amiga??rs




domingo, 17 de outubro de 2010

Sextilhas de uma vida

Quem me vê assim tão diferente
De tudo que  apresento, sem murmúrios,
Não sabe que detrás das aparências
Canta e chora e ri tão tristemente
Uma alma  em agruras que corajosamente
Vive e luta com garra e transparência!






Quem me vê cantar alegremente
expondo sonhos que nãosão meus, infelizmente,
Não crê que por detrás das reticências
Plena de paz e risos  (não contente!)
Chora uma alma, que agraciadamente
Ora ao seu Deus, com fé e obediência!





Diante desse quadro, por fim, de uma existência
Resgata, em  paradoxo, um tênue fio
que descortina, enfim, toda aparência
De tudo que já foi e que tem sido
A vida desta pobre escrevente
Que não quis mais do que viver contente!!!


(Graça Lacerda - outubro/2010)

sábado, 16 de outubro de 2010

Semana do Professor





Professora





Uma professora, em sua sagrada missão,
Vai graciosamente, conduzindo apaixonada!
Tenho apreço, não escondo uma afeição!
Abriu os nossos olhos, da cegueira atrofiada!





Fez dos livros sua vida, as letras sua estrada
Ensinando com amor, do saber a devoção
O tempo é outro, nem sequer é mais lembrada
A mente esquece, quando estava sem visão!



Simboliza para mim, essa luz tão graciosa,
A lamparina, que a matéria bruta
De incógnitas mentes, precisam despertar!



Rompe-nos da ignorância, lapida e conduz
Que em deslumbramento a alma enxerga
Um mundo indecifrável, que a Letra lhe traduz!


Autor:
Poeta Antônio Lídio  (do belo Blog Vozes de Minha Alma)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Homenagem ao Professor


(qualquer semelhança minha com a vovozinha da foto, não é mera coincidência!)  






O SEGREDO...


Um médico saiu pra caminhar e viu a velhinha sentada num banco fumando um cigarrinho.


Aproximou-se e perguntou:


"Se nota que é tão feliz.....qual é seu segredo??


Ela respondeu:


"Sou PROFESSORA, durmo às 3 da manhã corrigindo provas e planejando atividades, me levanto às 6 da manhã.


  Nos fins de semana não pratico nenhuma atividade física, não me divirto. Trabalho fazendo projetos, corrigindo mais provas, revisando exercícios ou atualizando meu blog!!! Todo final de semana, sábado, domingo e se a segunda é feriado, também.


  Não tomo café, não almoço e nem janto direito, porque não dá tempo.


O doutor então exclamou:


- "Mas isso é extraordinário. Quantos anos a senhora tem??


- 39,  respondeu a velhinha!


@@@@@@


1.Para pensar....rsrs
2.Parabéns para mim, para minhas colegas(o), e a todos os Professores do Brasil e do mundo, sofredores ou não...







sábado, 9 de outubro de 2010

Projeto Adormecer e Acordar Palavras



As estrelas,
A lua,
O sol,
E as rosas,
Inspiram o dia!
Tudo há seu tempo...
Um nu artístico prepara-se!
As tintas, os pincéis, a tela,
e umas mãos aguardam,
Ansiosa  Mente...
Enquanto isso...
As estrelas
A lua
O sol
E as rosas
Aguardam  impacientes,
Um tom...
Um tema...
Uns versos!
De um poema
semrumo!
Displicente,
Indisciplinado!
Indomável!
Disperso!
De um poeta sonolento!
(Colaborou:Antônio Lídio)






"É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.


É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras."
(Colaborou:Eugênio de Andrade)






COMUNICADO


Saiu hoje no Jornal
que o amor tem que renascer nos corações
e o sorriso esteja de volta em cada lábio
Foi publicado ainda
que a paixão retornou com força total.
Precisa-se de Vidas para abastecer muitas almas.
Aceitam-se doações de carinho, compreensão
e afeto
Promete-se a quem ajudar, ficar em estado de Graça.
Só não poderão cultivar o desamor, estar em desafeto
com alguém.
Não se pode também alimentar a ira!
Tem que jogar fora a maldade
adormecer a morte
e nunca, nunca mesmo, andar lado a lado
com a tristeza.


(Graça Lacerda - 07/10/2010)




 Amor, amizade, amenidade, altruísmo, abrigo, alvíssaras... vamos começar um dicionário?
- Ah, ia esquecendo:
- Abraço, moça!
(colaborou:RodolfoBarcellos)













Nos acordes da vida ( canto I)

(by lu cavichioli)

Acordei bela e suave

na liberdade de ser ternura



Voei digna e plena

Nos braços da confiança

Que fizeram adormecer

em mim: a dor  - e assim

germinei a PAZ!

(colaborou:
Lu Cavichioli)






domingo, 3 de outubro de 2010

Projeto Lexicoterapi@ e Excelência Humana para o século XXI

"Já perdi a voz, já perdi avós, já me perdi em nós e já perdi momentos a sós. Já me perdi em pós. Já recalquei algo atroz. Já naveguei do interior dos sonhos até à foz e já gritei meio louco meio feroz. Já me senti a correr parado e já fiquei estagnado no instante mais veloz. Em todos estes momentos fui pelas palavras. É por lá que caminho. Por uma ponte de consoantes suspensa por inflexões de ritmo, com intertextualidades pendentes. Percorro-a pelas aliterações e através das pontuações, sem reticências... para pontuar o prazer. Porque sou pelas palavras. Uns são pelos cães. Eu sou pelas palavras. Outros são pelas acções. Bem sei que as acções falam. Mas as palavras, essas, actuam. Em qualquer filme ortográfico."(B.Vilão)



********

Pequenas 'pérolas' que não foram divulgadas, na postagem                              anterior:





"O que podemos esperar de uma palavra?
Um aconchego que a muito tempo está ausente...
Uma palavra acompanhada de carícias envolventes,
Uma turbulência de pensamentos tristes
Palavras que resultam em tragédias...
Uma correlação entre o certo e o duvidoso...
Um orgulho idiota em termos dito algo e nos responsabilizarmos por esse ato, quando mesmo sofrendo,
Optamos por um rumo contrário em nossas vidas e não voltamos atrás...
Palavras, palavras e PALAVRA...
Qual é o sentido delas, se muitas vezes,
Dizemos coisas que não se encaixam...
Falamos de ódio, discórdia, rancores, separação,
E somos contrários ao nosso próprio sentimento.
Pois ultimamente a boca diz o que o coração não sente e
Dessa forma, silenciamos cada vez mais a voz do nosso coração...
A razão perde a noção do correto e o orgulho toma posse de nossas vidas...
Não adianta entender o momento, pois os olhos já não vêem as verdades,
Somos cegos ao nosso sentimento e falamos de coisas sofridas,
Alma ferida, rancores de coisas que já se tornam um fantasma em nossas vidas...
Ah! Palavra, palavra e palavra,
Que peso posso te dar em minha vida?"

 (Olavo, Traços de um  Homem . Obrigada)




*************


 "- EM BREVE CHEGARÁ A PRIMAVERA E EU NÃO PODEREI VÊ-LA,
em vez de :
 - Uma esmola, pelo amor de Deus!" 
(Poeta Mário Neves, obrigada, amigo.)


***************



"PALAVRAS SÃO MAPAS, ENDEREÇOS, DIRECIONAMENTOS, INDICATIVAS..." (Edson Carmo, pastor, teólogo, filósofo. Obrigada, amigo!)

**************


"O alfabeto alimenta as palavras mais bonitas".  (Éverson Russo; grata, amigo).



****************




Meus queridos ,


Já é sucesso esse Projeto, como todos sabem...


Finalmente agora, esse meu abençoado Lexicoterapi@  (nome de autoria de meu grande amigo Neo Orkuteiro) e  que atende informalmente pelo Adormecer e Acordar Palavras, já estará sendo também analisado pela esfera governamental, a partir de novembro de 2010.
Esse Projeto trouxe inúmeras alegrias para minha vida, e  muitos de vocês que o acompanharam estão aqui, neste slide, com seus sábios comentários, na forma de anexos: à guisa de ilustração.


Essa repostagem possui um único e fundamental objetivo: o de dizer MUITO OBRIGADA a todos vocês, que me apoiaram  tão carinhosamente, frequentes, assíduos, com suas palavras de apoio, incentivando de forma calorosa e desprendida, ACORDANDO palavras boas, santas, desejáveis, harmoniosas, para fazer ADORMECER aquelas que não edificam e não constroem!




Meu agradecimento especial também ao meu querido Bartolomeu Campos Queirós, cuja ideia original, como todos já sabem, vem do seu apaixonante livro CORRESPONDÊNCIA.




Estou muito satisfeita e gratificada, pelos Botões de Madrepérola terem conseguido, com louvor, e com sua preciosa colaboração, atingir o seu principal  e único OBJETIVO: o de fazer com que crianças e jovens possam vir a mudar seus comportamentos através da mudança de suas atitudes, e estas, por sua vez, através das Palavras!!!







Beijos meus a todos!


(Ah, e quando eu ficar rica com ele, estejam tranquilos  amigos lindos, não vou me esquecer de ninguém...rsrs)

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Espera



Tenho esperado, incansável, um grande Amor
Para aplacar a dor dessa existência
E ao chegar, reconhecendo seu valor,
Vou bendizê-lo e louvá-lo com veemência!


Ah! o Amor, esse tirano de minh'alma
Tem cuidado de zombar-me nesta estrada
Entrefugindo qual louco e sem piedade,
Vai deixando-me sozinha e abandonada...


Vem aplacar-me, Amor, a dor que dói
Vem fazer-me tua amante e tua mãe
Acalma-me o peito itinerante e sem rancor!


Ah, se vieres o melhor irás colher
Serei tua  - te prometo - dar-te-ei sim
O melhor que há em mim -  meu santo Amor!

Graça Lacerda
26/09/10